“O Senhor protege, orienta e zela por aqueles que são Seus amigos de confiança em Sua obra…”

Atualmente mais de 74.000 missionários de tempo integral servem em mais de 418 missões ao redor do mundo. Os missionários de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias têm geralmente idade entre 18 e 21 anos. Servem voluntariamente por 18 meses ou dois anos, pregando o Evangelho de Jesus Cristo e servindo a comunidade local, muito deles são designados para áreas remotas, e que o índice de violência é altíssimo. O assunto virou até um filme, baseado em fatos reais. Em 1998, dois missionários Mórmons foram sequestrados em Saratov, na Rússia, e mantidos como reféns enquanto esperavam a Igreja pagar o valor demandado pelas suas vidas. A Igreja por vez, não pagou o resgate, os missionários foram torturados e libertados por um milagre; os sequestradores foram capturados e presos. No Chile em 2015, duas missionárias, foram assaltadas durante uma invasão onde elas residiam.  O apartamento de quatro missionárias da Missão Concepcion Sul Chile, foi arrombado, e pelo menos duas das sisteres foram agredidas; as missionárias informaram imediatamente a polícia, que prendeu os dois homens. O ataque a estas missionárias é um fato tão lamentável como raro. As estatísticas mostram que “o trabalho missionário é inerentemente seguro”, disse o Élder David F. Evans da Sala de Imprensa Mórmon, onde ele também disse que “a Igreja faz todo o possível para garantir a segurança de seus missionários”.

Segundo a Revista Exame, a nova edição do estudo, divulgada em Janeiro de 2016, é feita com base no número de homicídios mostra que Caracas, na Venezuela, é a cidade mais violenta do mundo segundo a pesquisa, com uma taxa preocupante de 119,87 homicídios dolosos por 100.000 habitantes. A capital mais violenta do Brasil, é Natal, no Rio Grande do Norte, que teve, no ano passado, 78,4 assassinatos por 100 mil habitantes — um crescimento de 97% em relação a 2014, quando ocorreram 39,8 mortes/100 mil habitantes. A elevação fez com que o município pulasse da 13ª posição no ranking em 2014 para a liderança em 2015. ( Veja as demais capitais- http://exame.abril.com.br)

Isso tem gerado uma discussão, nas redes sociais, aqui no Brasil com relação a segurança dos dos Missionários mórmons em campo. Acompanhamos um incidente, no último sábado (11/03/2017). Uma dupla de Missionários, norte americanos foram flagrados, por uma câmera de segurança desarmando um assaltante, na zona norte da cidade de Manaus- AM; eles estava acompanhado de mais dois jovens da Ala. A câmera de um vizinho da Igreja local, registrou as imagens no momento que um homem pulou da motocicleta e aproximou-se dos rapazes e da dupla de missionários. Quando o homem sacou a arma para os missionários, um deles conseguiu pega-la e a jogou para o outro lado da grade da capela. O homem tentou recuperá-la sem sucesso; logo em seguida o vídeo mostra uma luta corporal entre um dos Élderes e o assaltante.
missionário mormon reage
Mas, será que o Missionário teve uma atitude correta, em reagir ao assalto?

Um Professor de Criminologia da Unisinos no RS e advogado criminalista, Alexandre Dargél explica que reagir costuma ser mau negócio para o assaltado, que está em desvantagem: ”— A vítima é pega de surpresa. Na estatística, em menos de 10% dos casos ela tem sucesso.” (fonte:http://zh.clicrbs.com.br)

Antes de um missionário ir para a área designada, ele vai para o Centro de Treinamento Missionário, também chamado de CTM. No CTM eles (Missionários) são instruídos sobre segurança pessoal e práticas para a saúde. Algumas dessas coisas incluem estar sempre em dupla, treinamentos de segurança para bicicletas e carros, e de segurança quando andam em lugares onde o índice de violência é alto. Eles são ensinados a carregar apenas alguns poucos itens e dinheiro apenas para a necessidade do dia. Os missionários também são ensinados que, caso sejam parados por ladrões, eles não devem resistir e apenas dar o que esta sendo pedido.

Apesar de todos esses cuidados e precauções, acidentes e tragédias ainda acontecem no trabalho missionário. Raramente os missionários são vitimas da violência urbana e em outras vezes, eles simplesmente estão no lugar errado e na hora errada, como qualquer pessoa em sua rotina. Entretanto, os líderes de Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, enfatizam o fato que os missionários estão mais seguros no campo missionário do que em qualquer outro lugar, mesmo em seus lares, e encorajam os membros deixando-os saber que a Igreja protege seus missionários da melhor maneira que podem. 

O Senhor ensinou aos seus discípulos: ”Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?”  (Mateus 16:24-26)

Existem perigos físicos e espirituais para os Santos dos Últimos Dias e seus entes queridos em todo o Mundo, disse o Presidente Henry B. Eyring durante a Conferência de Mulheres na BYU em 3 de maio de 2013. Disse ele: “O Senhor protege, orienta e zela por aqueles que são Seus amigos de confiança em Sua obra. Seu trabalho e de Seu Pai e nosso Pai é levar a efeito a imortalidade e vida eterna dos filhos de Deus. E Satanás, o inimigo de nossa felicidade, se opõe àqueles que servem ao Senhor”. Mas a promessa de proteção do Senhor é real e Seu poder é maior do que todas as forças que se opõem a Seus servos fiéis (…) “Ele zela por eles. Ele envia ajuda para fortalecer e apoiá-los. Já vi isso por mim mesmo, assim como vocês. O Senhor conhece o coração e as necessidades de Seus amigos que estão a Seu Serviço”.

Como parte de nossa experiência mortal, vivemos num mundo decaído, afligido por dívidas excessivas, guerras, desastres naturais, doenças, morte e violência. Portando ainda assim não devemos arriscar nossa segurança e nossa vida. Sorte a parte do Missionário que serve na Missão Brasil Manaus, ainda acredito que a melhor maneira é não reagir a um assalto. Separamos algumas dicas de como agir quando defrontar com uma situação semelhante a que aconteceu em Manaus, e que acontece diariamente em todo o Brasil.

COMO AGIR SE FOR ASSALTADO?

– Mantenha-se calmo e fale mansamente: cabe à vítima amenizar a tensão da ação. Quanto mais calma estiver, mais terá condições de controlar a situação. O ladrão sempre está mais nervoso que a própria vítima, porque sabe que pode ser preso e até mesmo morrer. Ele tem medo de uma reação da vítima, de outra pessoa ou da chegada da polícia.

– Obedeça as ordens do ladrão e encurte o tempo do crime: quando se atende as ordens do criminoso, automaticamente se encurta o tempo do crime. Se começar a negociar a carteira, o computador ou celular, por causa dos dados que tem dentro, prolonga-se o período em companhia do ladrão.

– Peça autorização para realizar qualquer movimento: se vai destravar o cinto, pegar a carteira, mexer na bolsa, por exemplo, pode dar a entender que está reagindo. Procure mostrar as mãos e comunicar ao ladrão o que vai fazer.

– Carregue mais dinheiro e menos cartões. Em um assalto, os criminosos querem dinheiro. Se você tiver apenas cartões de crédito tem grande chances de ser vítima de um sequestro-relâmpago. Se você tiver mais dinheiro e menos cartão, a tendência é que ele libere a vítima rapidamente.  (Fonte:Jorge Lordello, especialista em segurança pública e privada)

   Lembrando sempre que: Os Presidentes de Missão possuem as chaves da responsabilidade pelo bem-estar, sucesso e pela segurança de seus missionários; O Senhor, irá conduzir, abençoar e proteger os missionários obedientes e fiéis.
Siga-me!

Elias Rozendo

Nasceu no dia 14 de Fevereiro de 1990, na cidade de São João Del Rei- MG. Conheceu a Igreja em Manaus e foi batizado em 2005. Fez seminário e cursa o instituto. Serviu na Missão Brasil Santa Maria, onde recebeu a inspiração para escrever o seu primeiro livro ' A VERDADE SOBRE OS MÓRMONS''.É apaixonado por comunicação.
Siga-me!

Últimos posts por Elias Rozendo (exibir todos)