É com prazer que vou contar uma história emocionante de uma mulher de fibra e fé. O nome dela é Tatiana da Silva Teixeira, ela mora em Taquara, Rio Grande do Sul, e é membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias desde maio de 2014.

Tatiana é Casada com Leandro da Silva, com quem tem três filhos: Leandro Júnior (12); Tauane (8) e Maria Júlia (5).
A primeira parte da história gira em torno de algo que aconteceu com sua filha do meio, Tauane, quando ela tinha em torno de 3 anos.

Certa noite, ela teve uma forte dor na barriga. A dor era tanta que ela não dormiu a noite inteira. Na manhã seguinte, seus pais a levaram ao médico que a examinou e disse que não havia nada de errado com a menina. Eles foram para casa, revoltados, com a menina naquele estado. Mais tarde, vendo que a dor estava cada vez mais intensa, Tatiana retornou com a filha ao médico. Ela insistiu que a filha não estava bem, que algo mais deveria ser feito. Ele a examinou novamente, e quando apertou o lado direito do seu abdômen, ela gritou e ele, imediatamente,a encaminhou para o hospital.

Chegando lá, houve uma agitação incomum dos médicos e auxiliares em torno da menina, mas ninguém disse à mãe o que estava acontecendo. Então uma médica foi até a mãe e disse que haviam conseguido uma vaga pra ela em um Hospital maior, na cidade de Novo Hamburgo, e que elas deveriam ir imediatamente de ambulância.

Ela deu entrada na emergência e em pouco tempo providenciaram alguns exames de sangue, sendo constatada uma ruptura no apêndice. Naquela mesma noite Tauane foi encaminhada à cirurgia.

A médica que a atendeu alertou os pais quanto à gravidade do quadro de saúde da menina. Tauane teria chances mínimas sobreviver. Devido à demora do diagnóstico, ela já estava com infecção generalizada. E mesmo que saísse com vida da cirurgia, o organismo dela precisaria responder a um tratamento pesado, ela seria medicada com quatro tipos de antibióticos.

A cirurgia durou cerca de três horas e, entre outros procedimentos, os órgãos da menina precisaram ser lavados várias vezes. Depois da cirurgia a menina foi para a UTI.

Quando passou o efeito da anestesia, Tatiana e Leandro puderam visitar a filha na UTI. O que eles viram foi muito assustador. Tauane estava ligada a vários aparelhos, estava com os olhos abertos e estáticos, ela não reagia a qualquer estímulo. O casal, que era evangélico na época, orou continuamente para que sua filha saísse ilesa daquela situação.

Na manhã seguinte, o quadro de saúde da menina piorou. Leandro havia ido para casa e Tatiana ficou com a ela na UTI. Vendo aquela situação da sua filha, Tatiana orou com ainda mais fervor, exercendo toda a fé que tinha, pedindo a Deus que poupasse a vida da menina. Os médicos pediram para ela se retirar, pois teriam que fazer alguns procedimentos.

Tatiana desceu as escadas e foi para fora do hospital a um local próximo à rua, para ligar para o marido. Enquanto relatava-lhe, desesperadamente, o que estava acontecendo, olhando para a rua, ela teve uma sensação horrível. Ela não consegue se lembrar se ouviu uma voz ou teve um pensamento, mas lembra-se muito da mensagem: “Tua filha vai morrer, isso é certo! E tu não vais suportar vê-la morta! O melhor a fazer é te atirar na frente de um carro! Vamos, te atira, ela vai morrer mesmo!”
Foi uma das piores sensações que Tatiana teve na vida. Ela não deu ouvidos, pois sabia qual a fonte daquela mensagem. Antes, resolveu subir as escadas e aguardar uma notícia na sala de espera, próxima à UTI. Ela ficou lá, de pé, de frente para a janela, quando uma mulher falou com ela. A voz vinha de trás, mas ela não se virou para ver quem estava falando. Ela lembrou-se, porém, de ter visto um vulto sentado quando entrou na sala.

A mulher lhe disse: “Só tu sabes o que Deus quer de ti. Se tu olhares dentro do teu coração tu vais ver o que Ele quer de ti. Faça um ‘propósito com Deus’, e Ele poderá curar tua filha.” Ela não tinha conversado com ninguém no hospital sobre sua filha. Talvez a mulher tivesse escutado qualquer coisa a respeito, talvez não. Mas aquelas palavras tocaram profundamente o seu coração.

Em princípio, Tatiana ficou chateada, até certo ponto revoltada: “Se é de mim que Deus quer algo, por que Ele quer levar a minha filha?” Ela não achava justo que a vida da filha fosse afetada por conta de coisas que Deus requeria dela.
O procedimento acabou e ela pôde voltar à UTI. Quando entrou, viu sua filhinha deitada com os olhos fechados e em estado grave. Ela resolveu, então, fazer uma oração decisiva: “Meu Deus, tenho certeza de que tu não me deste uma filha, uma menina que eu tanto queria, para tirá-la de mim desse jeito. O que queres de mim? O que tu quiseres que eu faça, eu farei! Levarei a tua palavra, serei batizada, farei o que for preciso…mas por favor, não tire a minha filha de mim! Por favor, Senhor, cura a minha filha!”

Ela terminou de orar e teve uma visão extraordinária. Ela viu nitidamente uma mão, uma mão extremamente iluminada passando sobre o corpinho inerte da sua filha, da cabeça aos pés. E ouviu uma voz: “A minha parte eu fiz. Tu tens que fazer a tua!” Uma paz tomou conta do seu coração e ela soube, naquele instante, que sua filha estava curada.

Leandro veio ao hospital para ficar com a filha, enquanto Tatiana foi para casa tomar um banho e dormir um pouco. Quando retornou ao hospital encontrou sua filha, que horas antes estava em estado gravíssimo, sentada comendo gelatina e conversando. A menina precisou ficar uma semana ainda internada por conta do tratamento que teria de fazer. Tatiana sabia que aquele tratamento era desnecessário, mesmo assim acatou à decisão médica. No terceiro dia de hospitalização, Tauane estava correndo pelo hospital, com toda energia, como se nada lhe tivesse acontecido.

Tatiana resolveu cumprir sua parte no acordo. Embora se considerasse evangélica, não era muito ativa na sua fé, tampouco era batizada. Decidiu, então, ser batizada e firmou-se naquela fé.

Poucos anos depois, Tatiana e Leandro já não estavam mais tão ativos na fé que abraçaram. Ela sentia como se ainda não tivesse cumprido sua parte no acordo com Deus. Ela estava muito insatisfeita, pois não concordava com coisas que eram ensinadas, então começou a orar para o Senhor lhe mostrar uma igreja em que Deus estivesse no comando.

No final de março de 2014, os Élderes Petita, dos Estados Unidos e Garcia, da Bolívia bateram na sua casa. Eles pediram uns minutinhos para falar com ela, mas ela estava toda suada porque estava cortando grama, e pediu que
voltassem outro dia. “São só três minutinhos”, disse Elder Petita. Ela disse que se fosse uma mensagem sobre Jesus, eles poderiam entrar.

Os três minutinhos viraram uma hora e meia. Os missionários deixaram uma mensagem. A partir daí, as visitas deles eram frequentes e Tatiana empenhou-se em descobrir a veracidade do Livro de Mórmon. Ela orou continuamente durante um mês e meio em busca de uma resposta. Seu marido não estava muito convencido das mensagens dos missionários, mas ela não cessou de orar.

Em um sábado de manhã, ela acordou com uma forte sensação de que deveria ler o livro. Ela estava meio sonolenta, assim mesmo leu alguns trechos de 1 Néfi, então acabou pegando no sono. Foi quando algo magnífico aconteceu. Ela sonhou com Jesus Cristo. Ela, ouviu Sua voz, uma voz suave, porém penetrante e poderosa. Ele lhe disse muitas coisas das quais ela não se lembra. Mas lembra-se muito bem da advertência: “Eis que é chegada a hora!”. Ela acordou com a decisão tomada: “Quero ser batizada!”

O marido ainda não havia se decidido, mas já estava bem mais familiarizado com a doutrina e começou a gradualmente aceitá-la. Em pouco tempo Tatiana, Leandro e Leandro Júnior foram batizados. Assim que completou oito anos, foi a vez de Tauane. E os frutos foram ainda maiores. Os pais de Leandro, dona Maria, de 74 anos e seu Osmar de 72 anos, com câncer em estágio avançado, também foram batizados. Seu Osmar faleceu pouco tempo depois. E uma funcionária de Leandro, Ângela, também entrou nas águas do batismo.

Atualmente, Tatiana serve como Primeira Conselheira da Sociedade de Socorro e o irmão Leandro como Segundo Conselheiro na Presidência do Ramo. Eles são membros bem ativos e muito amados pelos membros do Ramo de Taquara, Distrito Gramado, da missão Brasil Porto Alegre Norte.

Siga-me!

Erika Strassburger

Erika Strassburger Borba mora no Rio Grande do Sul. Atualmente serve como professora na classe de Doutrina do Evangelho. É divorciada, tem três filhos. Tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve artigos para o site Familia.com.br, é curadora de mídias sociais e blogueira.
Siga-me!

Últimos posts por Erika Strassburger (exibir todos)