Existe uma frase do escritor George Bernard Shaw que diz:

“Alguns homens vêem as coisas como são, e dizem ‘Por que?’  Eu sonho com as coisas que nunca foram e digo ‘Por que não?”

Percebi, ao longo desses anos, em minha atividade profissional, o poder que as perguntas exercem na vida das pessoas. Observei, que durante o contexto em que o cliente apresentava o problema, ele fazia indagações com perguntas que reforçava e demonstrava o real problema, tais como: por que minha empresa vai mal? Ou, porque as pessoas não enxergam o meu potencial? Porque isso acontece comigo? Porque a vida me castiga? Porque nasci assim? Essas e tantas outras perguntas davam exatamente os resultados insatisfatórios que procuravam. Ao notar esse padrão, que chamo de perguntas limitadoras, comecei a reformular as mesmas perguntas para meus clientes, dando um novo sentido e propósito. Disse: Ao invés de dizer: por que isso acontece comigo? Diga: o que aprendo com isso? O que isso me fortalece para novas decisões? Ao aplicá-las, notei que a maneira como perguntava sobre qualquer aspecto de suas vidas, era notório perceber a mudança que causava em sua fisiologia, emoção e sentimentos. E o foco que davam para a pergunta certa, alterava de forma positiva os seus resultados e a qualidade de suas vidas.

As perguntas causam um impacto tanto positivo, quanto negativo na mente humana e em suas ações. Descobri que perguntas de qualidade, criam uma vida de qualidade. Questionar nossas limitações é o que derruba as muralhas da vida. Creio que todo progresso humano é precedido por novas perguntas. A diferença entre as pessoas, é a diferença nas perguntas que fazem sistematicamente para si mesma. Pense nas perguntas que costuma fazer a si mesmo. Qual o foco que você dá a elas? Algumas pessoas fazem tais perguntas assim: Por que eu? Como Deus pôde fazer isso comigo? Por que a vida é tão injusta? Por que nunca consigo obter sucesso? E se houver alguém melhor do que eu? Será que consigo? Por que não me deixam em paz? Porque tudo da errado comigo?

Os resultados que recebemos para nossas vidas, dependem das perguntas que estamos fazendo diariamente. Se tivermos esse padrão de perguntas que citei acima, teremos uma vida limitada. Pois, as respostas, criam a bussola para as tomadas de decisões. Lembre-se: aprender a fazer perguntas fortalecedoras em momentos de crise, é uma habilidade fundamental. Portanto, faça a si mesmo, neste exato momento, algumas perguntas fortalecedoras.

Do que sou capaz agora, ainda mais do que antes? O que realmente faz a maior diferença em minha vida e para onde estou indo? Qual o meu verdadeiro objetivo daqui a 1 ano, 2 anos e 5 anos? Como posso ser melhor? Que proveito tiro dessa experiência? Pelo que me sinto orgulhoso em minha vida agora? O que aprendi hoje?

Em qualquer ocasião, as perguntas que formulamos podem moldar nossa percepção de quem somos, do que somos capazes, e do que estamos dispostos a fazer para realizar nossos sonhos e cumprir com nosso supremo destino. Vejamos nas escrituras, como esse padrão (de perguntas) fez a diferença para as grandes mudanças na humanidade, ao longo das eras até o tempo atual.

Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. (…) E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? (…) E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? (…) (Gênesis 3:7, 9,11).

O Senhor mais adiante em Gênesis 4:9 repete esse padrão de pergunta: (…) E disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão?

Observem que o Senhor Onisciente já sabia onde Adão estava no jardim e mesmo assim perguntou: “Onde estás?”. E também já sabia o que acontecera com Abel. O que podemos aprender com essas escrituras e esse padrão de perguntas?

Essas perguntas e respostas, moldaram os destinos da vida de ambos os acontecimentos e da geração futura.

Em Joseph Smith – História 1:10 lemos:

(…) Em meio a essa guerra de palavras e divergência de opiniões, muitas vezes disse a mim mesmo: Que deve ser feito? Quem dentre todos esses grupos está certo, ou estão todos igualmente errados? Se algum deles é correto, qual é e como poderei sabê-lo? (Joseph Smith – História 1:10)

Essas perguntas inundaram a mente do jovem Joseph e o mesmo foi inspirado a ler a bíblia e fazer uma oração. Depois dessa experiência a humanidade conheceu o verdadeiro plano do Senhor para seus filhos.

Eis aqui algumas perguntas que podem moldar o nosso destino:

  1. O que estou fazendo agora para contribuir para o mundo?
  2. (…) sou eu guardador do meu irmão? (Gênesis 4:9)
  3. Se continuarmos vivendo como estamos vivendo, as bênçãos prometidas irão se cumprir? (Élder Carlos A.Godoy)
  4. (…) amas-me mais do que estes? (João 21:15)

Algumas das perguntas mais importantes que faremos na vida são: O que estou procurando? Porque estou aqui? Quem sou eu?

“Aquele que não pode perguntar, não pode viver”. (Provérbio Antigo)

“Sempre há uma bela resposta a quem faz uma pergunta ainda mais bela.” (E. E. Cumming)

Aquilo que focalizamos determina o significado. Albert Einstein disse:

“O importante é não parar de questionar. A curiosidade tem sua própria razão para existir. Uma pessoa não pode deixar de se sentir reverente ao contemplar os mistérios da eternidade, da vida (…). Basta que a pessoa tente apenas compreender um pouco mais desse mistério a cada dia (…).

Que todos nós mudemos o foco de nossas perguntas, para que as respostas moldem nosso destino eterno. Podemos começar fazendo isso AGORA:

Como posso amar genuinamente meu semelhante de agora em diante?

O que preciso mudar AGORA, para perdoar a quem ofendi?

Que mudanças, precisarei fazer em minha vida neste exato momento, que está me impedindo de ser a melhor versão de mim mesmo (a)?

O que me impede de alcançar meus objetivos?

E por fim, compartilho a pergunta e a resposta, que devemos fazer a nós mesmos todos os dias de nossa vida:

(…) que tipo de homens devereis ser? Em verdade vos digo que devereis ser como eu sou.(3 Néfi 27:27)

Siga-me!

Alex Mazalti

Serviu missão em Campinas-SP, de 2003 a 2005. Serviu como bispo. Casado e pai de dois filhos. Fundador e presidente do Instituto de Coaching do Vale – INCOVALE.Formado em Marketing e Bacharel em Administração de Empresas.Especialista em Consultoria Empresarial, Gestão de Pessoas e MBA em Gestão de Negócios. Master Coach e Trainer em Programação Neurolinguistica (PNL) com credenciais internacionais pelas maiores instituições de Coaching e PNL do mundo.
Siga-me!

Últimos posts por Alex Mazalti (exibir todos)