As escrituras estão repletas de profecias sobre o fim do mundo. É um tema que interessa a muitos e, embora os sentimentos a respeito variem da espera ansiosa à expectativa angustiante, a maioria das pessoas o encara com muita apreensão e, em alguns casos, verdadeiro pavor.

Essa atitude certamente deriva das predições quanto à sina dos infiéis quando aquele dia chegar, aliada à total incerteza sobre o momento exato em que o mundo como nós o conhecemos chegará a seu termo.

Algumas profecias servem de pista para nos levar a concluir que não estamos muito longe daquele dia. Falando do fim dos tempos, Daniel disse que “muitos correrão de uma parte para outra e o conhecimento se multiplicará” (Daniel 12:4). Qualquer um que tenha viajado em um avião sabe bem o que é “correr de uma parte para outra” e o Google e a Wikipedia – para citar apenas dois dos mais conhecidos sites de informação – certamente multiplicaram em muito o conhecimento. Nem é preciso mencionar a descrição perfeita apresentada em Doutrina e Convênios 45:26,27 sobre as condições às vésperas do fim do mundo. Guerras e rumores de guerras são fatos constantes, a Terra certamente está em comoção física e política, o coração dos homens falha no sentido literal (ataques cardíacos são cada vez mais comuns) e figurado (quase ninguém tem mais coragem de defender a verdade), o amor certamente vem esfriando e a iniquidade campeia. Mas quando, exatamente, acontecerá o fim do mundo?

Quando andava pela terra, o Salvador respondeu a essa pergunta dizendo: “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai” (Mateus 24:36). Isso significa que ninguém, exceto o Pai Celestial, sabia naquela ocasião quando ocorreria a Segunda Vinda, que determinaria o fim deste mundo. Entretanto, não quer necessariamente dizer que hoje, passados dois mil anos, isso continue a ser verdade. É bem possível que Cristo já tenha sido alertado da data exata de seu retorno, até mesmo para que possa preparar-se. As hostes celestiais que virão com Ele provavelmente também já o sabem. Porém, nós, habitantes deste mundo, seguimos ignorando quando o fim chegará.

Mas e se eu dissesse que sei com certeza em que dia Cristo voltará? E se dissesse que descobri isso lendo as mesmas escrituras que qualquer pessoa pode ler?

Em Doutrina e Convênios 64:23,24, o próprio Salvador afirma: “Eis que o tempo presente se chama hoje até a vinda do Filho do Homem e, em verdade, é um dia de sacrifício e um dia para o dízimo de meu povo; pois aquele que paga o dízimo não será queimado na sua vinda. Porque depois de hoje vem a queima—falando à maneira do Senhor—pois em verdade eu digo que amanhã todos os soberbos e os que praticam iniquidade serão como o restolho; e queimá-los-ei, pois sou o Senhor dos Exércitos, e não pouparei quem permanecer em Babilônia.”

Está aí a resposta: Cristo vem amanhã! Só nos falta agora descobrir a duração desse “hoje” de que fala o Senhor.

Entretanto, mais importante do que saber com exatidão a data da vinda de Cristo é estar pronto para ela. Essa preparação fará toda a diferença. Dela dependerá se aquele vai ser o “grande e terrível dia do Senhor” descrito por Malaquias e Joel, ou a ocasião em que seremos “carregado(s) triunfante(s) pelo ar”, até o “agradável tribunal do grande Jeová”, como diz Morôni.

O certo é que devemos viver cada dia – que sempre pode ser o último – de modo a experimentar essa segunda opção. Conforme bem explicou um profeta destes últimos dias: “Quando vivemos os mandamentos de Deus, podemos esperar alegremente a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo e saber que, devido a nosso esforço, somos dignos de viver em Sua presença, com nossos entes queridos, por toda a eternidade. Com certeza nada é difícil demais para atingirmos esse grande objetivo. Não podemos descuidar-nos nem por um momento. Durante toda a vida temos de provar diariamente que estamos dispostos a fazer a vontade do Senhor: espalhar o evangelho restaurado, prestar testemunho ao mundo, falar do evangelho a outras pessoas”. [The Teachings of Ezra Taft Benson (Ensinamentos de Ezra Taft Benson), 1988, p. 341.]

Só tem medo do fim do mundo quem não está preparado. Como bem disse o Senhor em Doutrina e Convênios 38:30: “Se estiverdes preparados, não temereis”.

Mario Silva

Mario Silva serviu na Missão Brasil São Paulo Norte de 1978 a 1980 e como missionário de serviço do Departamento de Tradução em Salt Lake City de 2000 a 2003. Desde 1994, serve como tradutor e intérprete, emprestando a voz a diversas Autoridades Gerais. É Assessor de Área de História da Família e trabalha como Gerente de Relacionamento do FamilySearch para o Brasil. Possui Mestrado em Administração de Empresas pela Universidade Brigham Young. É casado e tem dois filhos e três netos.