O Elder Stöof visitou as grandes cidades como São Paulo, Joinville e Porto Alegre procurando sempre entre as comunidades de imigrantes germânicos, a possibilidade de pregação do evangelho. Também queria obter informações como chegar até onde residia a família Lippelt no interior de Santa Catarina, em Rio Preto. Nesta viagem Stöof visitou Joinville e ficou encantado por encontrar no local uma comunidade de alemães e um centro bom para o inicio de proselitismo missionário. O presidente da missão America do Sul viu com otimismo abertura da Igreja no Brasil, e tendo um distrito de sua missão no país, sentiu pelo o espírito que Joinville seria a melhor cidade para começar a pregação do evangelho e a organização de um ramo da Igreja1.

O presidente Stöof empreendeu uma viagem de trem para visitar a família Lippelt em Rio Preto (Ipomeia) chegando ao mês de dezembro de 1927, pela primeira vez e prometeu que iria mandar missionário para lá. Onde realizou uma grande reunião na casa da família Lippelt com a presença de muitos vizinhos da comunidade, sendo a maioria de origem alemã. O Elder Stöof falou, discursou em alemão, realizou ali uma reunião sacramental, com a distribuição do sagrado sacramento, algo que a senhora Lippelt esperava há muito tempo. Já que seus filhos eram pequenos e ainda não possuíam o sacerdócio, o senhor Robert Lippelt não era membro, pois ele era ateu e não acreditava nestas coisas de religião. Por sorte que quando o presidente fez esta reunião o esposo da senhora Lippelt não se encontrava em casa, por razões de trabalho. O senhor Robert ficava muito tempo longe de casa e da família, muitas vezes ficava ausente por mais de duas ou três semanas. Deixando assim a oportunidade para o presidente Stöof realizar esta reunião da Igreja com a família Lippelt e todos os convidados da comunidade de Princesa Izabel2. Mais tarde, Princesa Izabel trocaria de nome e passaria se chamada de Rio Preto e bem, mais tarde para o nome que hoje é conhecida como Ipoméia. Como nesta reunião sacramental se contava com uma autoridade da Igreja, então desta forma esta foi a primeira reunião da Igreja no Brasil, com uma autoridade presente, em Dezembro de 1927.

O presidente Stöof informou à família Lippelt que em breve voltaria e que mandaria seus primeiros missionários para a cidade de Joinville, por ser um centro mais propício para a obra missionária. No entanto, estes missionários também teriam a responsabilidade de visitar Ipoméia e estabelecer um Ramo da Igreja neste local3.

Depois de oito meses da primeira reunião em solo brasileiro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o presidente da missão Sul-Americana na Argentina enviou dois missionários, os Elderes William Fred Heinz e o Emil Anton Joseph Schindler. Saindo no dia 12 de setembro de 1928 de Buenos Aires , o presidente Stöof, e os elderes William Fred Heinz e Emil A. J. Schindler, eles tinham objetivo de fixarem residência dos primeiros missionários em Joinville, sendo que a cidade tinha uma ótima estrutura de 1851, tendo uma população em torno de 12.000 pessoas. Quando chegaram perto do porto de São Francisco no dia 17 de setembro de 1928, começou uma tempestade de tais proporções que pareceria que todos seriam tragados pelas águas, que ate fez o capitão da embarcação não querer atracar no porto, mas o presidente Stöof e os elderes que estavam juntos com ele começaram a orar ao Pai Celestial; se fosse sua vontade que o trabalho missionário tivesse inicio em Joinville, que então acalmasse as fúrias dos ventos. E assim aconteceu. Elder Heinz e Elder Schindler fixaram residência em Joinville e assim começa a pregação do evangelho no Brasil, só que na língua alemã. No inicio era realizada a Escola Dominical, reuniões nas casas de investigadores e outros métodos de ensino, entre eles, as palestras eram ilustradas mostrando Utah e seu povo. Essas palestras geralmente aconteciam durante a semana em um teatro da cidade, em que a frequência chegou até 400 pessoas. Também realizavam as reuniões nas casas das famílias e aos domingos realizavam as reuniões sacramentais, sendo que em três meses de trabalho elas já contavam com uma frequência de 70 pessoas 4.

1 Blind, Henrique João. IPOMÉIA: Parte da historiada igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Brasil. 2012.114 folhas. 1ºedição, Êxito Editora Videira, SC.,pg;32

2 Silva, Rubens Lima Da. Os Mórmons em Santa Catarina: Origens, conflitos e desenvolvimento. 2008.119 folhas. Trabalho do programa de pós-graduação em ciências da Religião. Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008. pg;64-65.

3 Idem 1ºedição, Êxito Editora Videira, SC.,pg.33

4 Blind, Henrique João. IPOMÉIA: Parte da historiada igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Brasil. 2012.114 folhas. 1ºedição, Êxito Editora Videira, SC.,pg;82

Siga-me!

Valeria da Silva

Valéria Corrêa da Silva possui Licenciatura Plena e é Bacharel em História na PUCRS.
Siga-me!

Últimos posts por Valeria da Silva (exibir todos)