Escritura da Semana: Morôni 7:45 – “E a caridade é sofredora e é benigna e não é invejosa e não se ensoberbece; não busca seus interesses, não se irrita facilmente, não suspeita mal e não se regozija com a iniquidade, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

Sobre a caridade o dicionário diz: “virtude teologal que conduz ao amor a Deus e ao nosso semelhante.” A palavra é um termo derivante do latim caritas (afeto, amor), que tem origem no vocábulo grego chàris (graça). A caridade pode ser entendida como um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A caridade é um dom que nos permite desenvolver a força para voltar a viver com Deus.

O Profeta Thomas S. Monson disse: “Sempre amei o lema da Sociedade de Socorro: ‘A caridade nunca falha’. Mas, o que é caridade? O profeta Mórmon nos ensina que ‘a caridade é o puro amor de Cristo’. Em sua mensagem de despedida escrita aos Lamanitas, Morôni declara: ‘A não ser que tenhais caridade, não podeis de modo algum ser salvos no reino de Deus.” Em outra oportunidade ele também relatou: “Madre Tereza, a freira católica que trabalhou a maior parte da vida com os pobres na Índia, expressou esta profunda verdade: “Se você julgar as pessoas, não terá tempo de amá-las”. O Salvador admoestou-nos: ‘O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei’. Pergunto-lhes:Podemos amar-nos uns aos outros, como o Salvador determinou, se julgarmos uns aos outros? E respondo, —ecoando Madre Tereza: ‘Não, não podemos’.”

A caridade é um atributo muito importante!  Aprendemos que é o mais elevado, o mais nobre e o mais forte tipo de amor e o que dá mais alegria à alma. No Guia de Estudo das Escrituras podemos ler: “Jesus Cristo é o exemplo perfeito de caridade. Em Seu ministério mortal, Ele sempre “andou fazendo o bem”, ensinando o evangelho e demonstrando terna compaixão pelos pobres, aflitos e desesperados (ver Mateus 4:23; Marcos 6:6; Atos 10:38). Sua expressão máxima de caridade foi Sua Expiação infinita. Ele disse: “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13).  Esse foi o mais grandioso ato de longanimidade, bondade e altruísmo que já existiu.” Cristo poderia ter sido arrogante e orgulhoso, porque era Todo-Poderoso. Em vez disso, Ele encontrou motivos para ser caridoso. Sem caridade, os homens não poderão morar no lugar preparado nas mansões do Pai – “se não tendes caridade, nada sois.” (ver Éter 12:34. Morôni 10:20–21).

Siga-me!

Junior Klaus

18 anos, estudante de direito com chamado para missão de tempo integral a caminho e em treinamento para ser missionário de história da família até ir para a missão.Administrador das páginas 'Filhos de um Rei' e 'Ponderizar' no Facebook.
Siga-me!

Últimos posts por Junior Klaus (exibir todos)