Durante muitos séculos não houve templos na terra, nem sacerdócio e nem o conhecimento correto a respeito de Deus e de Seu Filho Jesus Cristo – Não havia sua Igreja sobre a terra, reinava o tempo da grande apostasia.Uma época de trevas espirituais.

Mas como uma luz que resplandece sobre um alto monte, iluminando todos os homens que buscam a verdade, hoje temos o Evangelho restaurado, com o sacerdócio, a doutrina correta, as ordenanças de salvação, profetas, apóstolos e templos.

Os templos representam para mim tudo o que podemos aprender sobre o evangelho, suas ordenanças e autoridade, o conhecimento correto da natureza divina de Deus e Jesus Cristo, e nosso destino eterno como filhos e filhas da deidade.

A primeira vez que fui ao templo foi a experiencia mais gratificante que tive depois de meu batismo, ainda adolescente.Junto com minha família-pais e irmãos- tive o privilégio de fazer uma viagem de um pouco mais de 3 dias, de Fortaleza-CE até chegarmos ao Templo de São Paulo, para sermos selados como uma família eterna.Os sacrifícios foram muitos, antes, durante e depois da viagem, mas a alegria de ver e entrar pela primera vez em um templo de Deus na terra, até hoje é difícil de explicar.Dentre os vários sentimentos bons que tive naquele momento, um deles era de que eu não estava longe de casa.

Depois dessa ocasião, tive muitas outras oportunidades de frequentar o templo.E mesmo quando tive que escolher morar longe de minha família, depois de minha missão de tempo integral, o fato de morar numa cidade que tivesse um templo, no caso Recife-PE, fez toda a diferença nessa escolha.Eu amo o templo, amo frequentá-lo e aprender mais sobre este lugar santo.

As escrituras e os profetas antigos e modernos nos ensinam muito sobre a importância dos templos, tais como:

O primeiro templo na terra foi o Jardim do Éden.Nele o Senhor deu leis e mandamentos a Adão e Eva.Eles foram selados para a eternidade.Aprenderam sobre o plano de salvação e fizeram convênios com o Senhor de obedecê-lo e cumprir tudo o que lhes fosse exigido.Eles podiam comunicar-se com Deus face a face.

O Tabernáculo de Moisés foi o templo no deserto.Nele os israelitas adoravam a Jeová e purificavam-se de seus pecados.A Expiação de Cristo era o ponto central da adoração no tabernáculo.De maneira simbólica eles poderiam aprender como voltar ao Jardim do Éden e desfrutar da presença do Senhor.

O Templo de Salomão posteriormente conhecido como O Templo de Jerusalém era um símbolo de tudo o que os judeus acreditavam, mas foi corrompido por líderes cegos.Nele o Salvador se preparou para sua missão, ensinou os doutores da lei e posteriormente o purificou.Os primeiros cristãos e Apóstolos iam com frequência ao Templo de Jerusalém e serviam nele.

O Templo de Abundância, no continente americano foi o lugar procurado por todos os justos sobreviventes, que acreditaram nos sinais do nascimento e também morte do Salvador.Lá eles ouviram a voz do Pai prestando testemunho do Filho e viram e tocaram as marcas da crucificação do Messias.Neste templo o Salvador os ensinou a importância do batismo e do sacramento.Anjos desceram entre eles e crianças de colo falaram maravilhas.

Os templos sempre foram e continuam a ser locais de aprendizado e revelação em meio a um mundo mergulhado em falsas doutrinas e dúvidas.Sou imensamente grato por ter aprendido mais sobre esses lugares santos, ao me esforçar para frequentá-los.Gostaria de listar 8 lições que aprendi no templo:

Servir traz alegria: No templo é fácil servir, doar seu tempo, dons e talentos.No templo você não se cansa de ajudar as pessoas e muitas vezes se pega procurando meios de ajudar um pouco mais.Quando compreendemos a real importância do serviço que prestamos no templo, desfrutamos de um sentimento de paz.Como procuradores ou oficiantes nas ordenanças vicárias, ajudando no refeitório, na lavanderia ou acompanhando os jovens no batistério o sentimento é o mesmo, de que estamos apenas a serviço de nosso Deus e isso traz muita alegria.

Podemos estar sempre felizes e ter sempre um sorriso no rosto: No templo não deve haver espaço para mágoas, ressentimentos ou outros sentimentos negativos.Se permitirmos, o Espírito Santos no encherá com seus frutos de caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.

O tempo é diferente: No templo aprendemos que há um tempo para tudo e tudo deve ser feito em ordem.Que não devemos correr mais do que as nossas pernas o permitam.Não há a pressão do mundo que cobra sempre mais resultados a curto prazo.Aprendemos que o planejamento é essencial.Que a pontualidade convida o Espírito a tornar todas as coisas sagradas.

A reverência traz revelação: No templo aprendemos mais a sentir do que ouvir os sussurros do Espírito.Que para sermos sensíveis à revelação, precisamos buscar com real intenção a verdade do alto, evitando conversas levianas, pois “… o Senhor está no seu santo templo; cale-se diante dele toda a terra”.

Uma perspectiva eterna: Nossos problemas pessoais ficam do lado de fora do templo.Não que eles sejam resolvidos por sí só.Mas aprendemos a dar o devido valor as coisas que realmente importam.Descobrimos o verdadeiro tamanho de nossos desafios e adquirimos uma visão da eternidade.Aprendemos que somos capazes de vencer os testes da mortalidade.

Somos todos iguais: No templo o modo como nos vestimos, todos de branco, ajuda-nos a lembrarmos que somos todos privilegiados.Não há médicos, empresários, ricos ou pessoas populares, também não há carpinteiros, empregados, pobres ou pessoas excluídas.Todos somos filhos e filhas de Deus, preparando-se igualmente para tornarem-se reis e rainhas.

Não há divisões: No templo não nos organizamos em quóruns ou classes.Dentro do templo a família é a unidade mais importante.Aprendemos e lembramos que todos somos filhos e filhas de um Pai Celestial, portanto membros de uma mesma família eterna.Que as maiores bençãos que podemos receber nesta vida e na eternidade só podem ser alcançadas por meio da união das famílias em laços eternos, mediante o selamento em seus altares sagrados.

Não somos deste mundo: No templo aprendemos que não pertencemos a este mundo, somo todos peregrinos aqui, e que os mandamentos e leis do Senhor são perfeitos e justos, e nos protegem e separam do mundo enquanto trilhamos o caminho de volta ao lar.

Para aqueles que já frequentam o templo o grande desafio é aplicar seus ensinamentos enquanto permanecemos no mundo.Tornar nossos lares e nossas congregações uma extensão do templo é nosso teste final, depois de todos os convênios que lá realizamos.Para nos ajudar a alcançar este objetivo, o Senhor nos deu muitos lembretes que podem manter vivos em nossa vida diária os convênios, o espírito e a paz do templo.

As escrituras, as palavras dos profetas, nossos líderes locais, as reuniões da igreja, aulas do seminário e instituto, orações e tantos outros recursos, não apenas servem para nos preparar para um dia entrarmos nesse lugares santos, mas também servem para nos manter sempre dignos de lá voltar e novamente aprender mais e mais sobre o Plano de Salvação e o poder dos convênios que lá fizemos.

“Se frequentarmos o templo sagrado e recordarmos os convênios que lá fizermos, conseguiremos suportar todas as provações e vencer todas as tentações. O templo dá propósito a nossa vida. Traz-nos paz à alma — não a paz que o homem oferece, mas a prometida pelo Filho de Deus, quando disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.’”Presidente Thomas S. Monson

Siga-me!

Marcelo de Almeida

De Fortaleza/CE, e com 34 anos, Marcelo de Almeida é solteiro, missionário retornado e serve como Diretor de Indexação da Estaca. Ele estuda Enfermagem e é SUD desde os 16 anos, tendo servido na Missão Brasil Londrina.
Siga-me!

Últimos posts por Marcelo de Almeida (exibir todos)