Sempre gostei de estudar os manuais do Instituto de Religião da Igreja. Tenho um testemunho de que se fizermos do Instituto uma prioridade em nossas vidas, seremos muito abençoados.

A primeira vez em que visitei a cidade de Palmyra em Nova Iorque/USA, fui tomada de uma emoção muito grande. Para mim foi como se os manuais do Instituto tivessem ganhado vida e algo, alguma coisa, tivesse me “tele transportado” ao passado.

Fiquei por algum momento nesta janela da fazenda da Família Smith, no Centro de visitantes da Igreja no Bosque Sagrado, lembrando das aulas do Instituto e tentando imaginar como deve ter sido difícil para o profeta Joseph Smith deixar aquele lugar.

Na foto acima é possível ter a perspectiva do interior da casa, pela janela, da rua de chao que ainda hoje vai ao encontro do Bosque Sagrado. Tentei imaginar as inúmeras vezes que o profeta possivelmente fez este trajeto para buscar mais luz e conhecimento em seus momentos de ponderação e silêncio que encontrava no Bosque.

E, desde então, tenho me perguntado constantemente: “Onde está meu próprio Bosque Sagrado?”

Tenho aprendido que “aprender a receber revelação pessoal” é como aprender uma nova língua, da mesma forma que aprendemos Inglês, Espanhol ou Chinês. Algo que pode parecer difícil de início, mas que se nos esforçarmos certamente veremos os resultados.

Em D&C 46:61 o Senhor prometeu que se pedirmos, iremos receber revelação sobre revelação. Como eu disse, da mesma forma que aprender uma nova língua, é necessário que tenhamos tempo para estudar, ponderar, praticar e também perguntar. E ter paciência, muita paciência. Precisamos pedir para aprender como ser ensinados e aprender pelo Espirito Santo.

Talvez alguns de nós não tenhamos certeza se a voz que ouvimos é a nossa própria voz ou revelação. Se não temos certeza de como é ouvir ou sentir a voz do Espirito de uma maneira pessoal, precisamos pedir, ou até mesmo suplicar ao Senhor que nos ensine.

Cada um de nós tem dons e talentos pessoais. Somos seres únicos e importantes para Deus. Por causa disso, a maneira especial como o Espirito Santo irá falar pessoalmente a cada um de nós pode ser algo muito pessoal.
Para alguns a manifestação do Espirito pode se dar através da leitura das escrituras, oração, música inspirada, ou do jejum. Para outros, uma voz que fale claramente à mente ou sentida no coração. Para outros pode vir através de sonhos, visões ou respostas vindas de mensagens compartilhadas por outros membros da Igreja ou em discursos, como também em visitas.

Não há somente uma maneira de aprender a receber revelação. Todos e cada um de nós pode e, precisa descobrir, a maneira pessoal como o Espirito Santo se comunica conosco – a nossa mente e nosso coração – e então fazer o melhor que puder para progredir nesta linha de comunicação com os céus.

Se diligentemente buscarmos ser dignos de aprender pelo Espírito e fizermos o melhor com as impressões que tivermos recebido, o Senhor irá nos conceder, passo a passo, degrau por degrau, as instruções e a informação necessária para conduzirmos nossas vidas.

O Elder Richard G. Scott ensinou: “Uma das grandes lições que cada um de nós precisa aprender é pedir. Por que o Senhor quer que oremos a Ele pedindo? Porque é assim que se recebe revelação.” (Conferencia Geral, Abril de 2012).

Nós somos seguidores de Jesus Cristo. E temos sido seus seguidores e amado a ele por um longo, longo período de tempo. Nada é mais importante do que priorizar um relacionamento pessoal com ele e perseverar até o fim.

O Presidente Boyd K. Packer aconselhou: “Se aprenderdes apenas com a razão, nunca compreendereis o Espírito nem como Ele age, não importando o quanto aprendais a respeito de outras coisas.” (Conferencia Geral, Outubro de 1994).

É necessário esforço pessoal. Para alguém que havia pensado que receberia revelação sem qualquer esforço pessoal, o Senhor disse nas escrituras:

“Eis que não compreendeste; tu supuseste que eu to daria quando não fizeste outra coisa senão pedir.

Mas, eis que eu te digo, deves ponderar em tua mente; depois me deves perguntar se é correto e, se for, eu farei arder dentro de ti o peito; hás de sentir assim, que é certo.” (D&C9:7-8)

A comunicação com o nosso Pai Celestial não pode se tornar algo casual. Na verdade, a comunicação com nosso Pai é um privilegio sagrado e se baseia em leis e princípios eternos. Recebemos ajuda dos céus em resposta ao exercício da nossa fé, da obediência e também o uso adequado do arbítrio.

O próprio profeta Joseph Smith explicou: “Podeis beneficiar-vos, ao perceber o primeiro embate do Espírito de revelação. Por exemplo, quando sentis que a inteligência pura flui para vós, podereis, repentinamente, ser despertados por uma corrente de ideias, de modo que por atendê-lo, vereis que se cumprem no mesmo dia ou pouco depois; (isto é) verificareis as coisas que o Espírito de Deus revelou à vossa mente; e assim, por conhecer e aceitar o Espírito de Deus, podereis crescer no princípio da revelação até que chegueis a ser perfeitos em Cristo Jesus.” (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p.147.)

Sei que o Salvador Jesus Cristo vive. Sei que no próximo domingo, ao comemorarmos a Páscoa, estaremos não somente celebrando sua ressurreição – O Cristo Vivo- como também estaremos unidos como membros de Sua Igreja no mundo inteiro para ouvir suas instruções através de nossos líderes mundiais. Sei que o Presidente Thomas S. Monson, o nosso amado profeta, e’ o porta-voz autorizado por Deus para receber revelação para a Igreja.
Sei que se nos esforçarmos para participar das sessões da Conferencia Geral com um espirito de mansidão e obediência, iremos receber instruções do alto para aquelas questões pessoais que nos afligem e muitas vezes nos tiram o sono.

Sei que não precisamos visitar fisicamente os lugares que Cristo ensinou ou até mesmo os lugares históricos onde nossos pioneiros modernos viveram, para saber por nós mesmos que o evangelho é verdadeiro. Como membros da verdadeira Igreja de Jesus Cristo, temos direito a revelação pessoal. Deus derrama revelação sobre seu povo.

Para terminar, deixo as palavras do Presidente Eyring: “Minha esperança hoje é que todos sintamos o amor e a luz de Deus. Há muitos que estão nos ouvindo hoje que sentem uma necessidade imperiosa de receber essa bênção da revelação pessoal de nosso amoroso Pai Celestial.

Para os presidentes de missão, pode ser uma oração suplicando para saber como incentivar um missionário com dificuldades. Para um pai ou uma mãe em um lugar do mundo devastado pela guerra, é uma necessidade desesperada de saber se devem levar sua família para a segurança ou se devem permanecer onde estão. Centenas de presidentes de estaca e bispos estão orando hoje para saber como ajudar o Senhor a resgatar uma ovelha perdida. E para um profeta, é saber o que o Senhor quer que ele fale para a Igreja e para um mundo em crise.

Todos sabemos que o julgamento humano e o pensamento lógico não são suficientes para obtermos as respostas para as perguntas que mais importam na vida. Precisamos das revelações de Deus. E não precisamos apenas de revelação em um momento de estresse, mas precisamos de um fluxo constantemente renovado. Não precisamos de apenas um lampejo de luz e consolo, mas precisamos da bênção contínua da comunicação com Deus …” (Conferência Geral, Outubro de 2014)

Que esta benção continua esteja com você e comigo, hoje e sempre.

Isis Avila

Isis Avila serviu na Missão Brasil SP Interlagos - A Bela. Solteira, estudante da BYU, apaixonada pelo Programa do Instituto e também Astronomia. Acompanha mais grupos no Facebook do que deveria, é abastecida por doces e música e é também uma gaúcha tricolor cujo pampas hoje não têm mais fronteiras.

Últimos posts por Isis Avila (exibir todos)