A personalidade dos evangelizadores sempre constituiu motivo de interesse para mim. No caso dos apóstolos modernos, a maneira como expõem seus vigorosos sentimentos durante suas pregações, em condições por vezes adversas, nos chegam claramente, através das escrituras atuais, contidas nas revistas A Liahona. Estas nos permitem entrever o relacionamento que desenvolveram com os demais, assim como a força e a delicadeza de suas aspirações e caráter. As características desses homens especiais calaram profundamente em meu coração de menina, desde os meus primeiros contatos com seus ensinamentos. Pude então desenvolver uma afeição e admiração especifica por cada um deles.

Devemos citar Thomas Spencer Monson, ou simplesmente Tommy, como era conhecido pela família e amigos. Com a personalidade marcante e forte presença, influenciou direta e indiretamente a existência de inúmeras pessoas, através de seus discursos e escritos inspirados, por muitas décadas.

Assumiu as responsabilidades como apóstolo de a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em 1963, aos 36 anos. Ao tornar-se uma figura pública, porém, jamais negligenciou o cuidado individual, esforçando-se permanentemente para atender as necessidades emocionais e espirituais de pessoas com quadros de solidão, depressão, viuvez, abandono, doença, velhice e tantos outros, demonstrando verdadeira empatia, que aproximava seu coração ao coração dos aflitos. Esta foi sem duvida sua principal marca e característica, que o distinguiu da maioria das pessoas.

Como discípulo de Jesus Cristo, e presidente da Igreja desde fevereiro de 2008, honrou exemplarmente seus compromissos, ensinando e exortando multidões a viver de acordo com os princípios ensinados pelo Mestre. Preocupou-se constantemente em colocar em prática a extensão de Seus ensinamentos, sendo conhecido por estar presente nas situações de dor e sofrimento, dedicando sua vida ao serviço ao próximo. Seu comportamento, muito mais do que palavras escritas ou ditas, bem demonstram os anseios que o animaram, revelando um testemunho semelhante ao de Paulo, o evangelista, que, a respeito dos sentimentos humanos, sintetizou: ‘’O maior deles, porém, é o amor’’.

Um homem grande, forte, autoconfiante e cheio de fé, inteligente, rápido de pensamento e palavras, com nobres sentimentos, irradiando alegria e disposição. Que apreciava arte e poesia, utilizando-as diversas vezes nos discursos que proferiu. Que sabia unir com justiça os aspectos da energia e assertividade com brandura e solicitude nos momentos adequados. Alguém sempre pronto a focar as questões positivas das pessoas, enxergando-as muito além e mais do que elas mesmas poderiam.

Este é o Presidente Monson. Felizes aqueles que puderam usufruir de sua presença, sentindo diretamente o poder de sua influencia. Felizes os que neste momento estão a fazê-lo em sua nova morada, o mundo espiritual, onde certamente se encontra servindo como sempre serviu, circundado de honras e glórias, em virtude das excelentes ações por ele desenvolvidas enquanto habitou neste mundo.

Siga-me!

Suzana Mcauchar

Membro da Igreja há 35 anos, é casada e mãe de dois filhos. Psicóloga credenciada nos Serviços Familiares SUD. Serve como 1ª Conselheira na Sociedade de Socorro e como Professora na Escola Dominical. Trabalha com políticas públicas na Prefeitura de Juiz de Fora, além de ser professora universitária.
Siga-me!