O DESAFIO

Digamos que você queira produzir uma obra semelhante ao Livro de Mórmon e se colocar em igualdade de condições à Joseph Smith, terá então de cumprir alguns requisitos:

(1o) Deverá ter 21 anos, recém casado com uma família para sustentar. Você é fazendeiro, tem apenas três anos de instrução e sabe apenas o básico de operações elementares de Matemática e da sua própria língua nativa;

(2o) Você terá um período de dois meses para escrever um livro de mais de 600 páginas sobre os antigos habitantes do Tibet que lá viveram entre os anos 200 A.C. até 800 D.C., porque o que se sabe hoje sobre estes povos é o equivalente ao que se sabia na época de Smith sobre os antigos habitantes da América;

(3o) Você não disporá de bibliotecas ou livros sobre o assunto, a única coisa que terá à mão é uma Bíblia;

(4o) Terminado o prazo de dois meses, você não poderá mais fazer correções ou alterações no texto original. As edições posteriores de seu livro só poderão vir com pontuação e algumas correções gramaticais ou tipográficas (Nota: O original do Livro de Mórmon é escrito como um todo, sem pontuação ou vírgula, como se Oliver Cowdery fosse escrevendo rapidamente o que Smith traduzia das placas. O interessante é que nem no Hebreu nem no Egípcio existe o que se chama de pontuação, daí a existência nestas línguas e no Livro de Mórmon de tantos versículos iniciando com “E aconteceu que …”, “E sucedeu que …”; as quais são frases comumente utilizadas nestas línguas para suprir a falta de pontuação. Você sabia disto? Agora imagine se Joseph o sabia!?);

(5o) Seu livro conterá mais de 300 nomes próprios de diferentes raízes, como egípcia, mesopotâmica e semítica;

(6o) Você terá de convencer 11 (onze) homens de boa reputação na sua sociedade para escrever seus testemunhos sobre as placas de ouro das quais você disse ter traduzido o Livro, esses homens jamais deverão mudar esses testemunhos ao longo de suas vidas, mesmo que sofram ameaças de morte ou sejam ridicularizados por isto. Alguns deles talvez se afastem da Igreja que você irá criar mas, mesmo se forem seus oponentes num futuro próximo, deverão morrer fiéis a este testemunho;

(7o) As descobertas arqueológicas das próximas décadas deverão corroborar aquilo que você escreveu no seu Livro. Por exemplo, Joseph foi o primeiro a dizer que:
Os antigos escreviam sobre placas de metal e as guardavam em caixas de pedra,
Existiram elefantes na América Antiga e os antigos o utilizavam em seus afazeres do dia a dia (Éter 9:19),

(8o) Livros descobertos mais tarde devem confirmar a história deste jovem fazendeiro, como exemplo:

8.a) “Joseph Smith, um pobre imigrante da Escócia, não havia aprendido nem o aramaico nem tão pouco o hebraico antigo ( Joseph aprendera o hebraico somente depois, quando o livro já havia sido publicado ), nunca havia visto os caracteres cuneiformes sumérios. Sim, na época do profeta dos mórmons não havia no mundo inteiro nenhum cientista que pudesse traduzir as tábuas escritas da Babilônia, isto porque sua descoberta, assim como também da Epopéia de Gilgamés, ocorreu somente depois da morte de Joseph Smith. Portanto como se explica a concordância entre o Livro de Éter e os outros textos descobertos mais tarde”( Erick Von Daniken, em “O Grande Enigma”, pg. 26, 27). Detalhe, Daniken é um não mórmon e ateu.

8.b) “Existe uma duplicata de causar admiração. O que Joseph Smith traduziu no ano de 1827 nas placas de metal está escrito do mesmo modo no Popol Vuh. Contudo, Smith não podia mesmo conhecer o conteúdo da Bíblia dos maias-quichés, posto que esta só foi traduzida por Wolfgang Cordan apenas nos anos 50 de nosso século! (Idem, pág. 41).

8.c) A pouco conhecida “Narrativa de Zózimo” conta sobre uma família digna que Deus tirou de Jerusalém antes de sua destruição pelos babilônios em 600 A.C. aproximadamente, e sobre como este grupo fugiu para uma terra de bem-aventuranças, onde eles mantinham registros em placas de metal tão macias que podiam ser escritas com as unhas. Na história, Zózimo teve a permissão de visitar estas pessoas em visão. A fim de chegar a esta terra, Zózimo teve que viajar pelo deserto, passar por densas névoas de escuridão, atravessar o oceano, e surgiu de uma árvore que produzia fruto puro e dava água doce como o mel. (ver os mesmos elementos em I Néfi 8:10-12 e 11:25);

(9o) Você deve variar o seu estilo literário durante o transcorrer do Livro, passando de Narração para Cânticos, Discursos, Profecias e Diálogos, tendo seus diversos autores um estilo próprio. Além do mais deve conter alguns estilos literários (como quiasmos e paralelismos) desconhecidos até então. Os quiasmos foram descobertos na Bíblia no final do século XIX, enquanto que só foram descobertos no Livro de Mórmon no início da década de 70. (veja Mosíah 5:10-12);

(10o) Seu Livro irá trazer vários inimigos que o perseguirão até a sua morte, não dando descanso para você nem para seus fiéis seguidores;

(11o) Seu Livro deve ser consistente e verossímil, descrevendo rituais, guerras e costumes de civilizações antigas com acuidade;

(12o) Você deve convencer um amigo seu a hipotecar a fazenda dele para que possa financiar os custos da publicação do Livro;

(13o) Seu Livro deve ter uma promessa desafiando a todos que o lerem a perguntar a Deus sobre a sua veracidade. Milhões de pessoas , ao redor do mundo que assim o fizerem, “com coração sincero e com real intenção” terão sua oração respondida;

Você quer tentar escrever um Livro assim?

Extraído originalmente de “LEHI IN THE DESERT, THE LAND OF THE JAREDITES”, Hugh Nibley, Deseret Books Co.

Sobre Hugh Nibley ver em http://pt.wikipedia.org/wiki/Hugh_Nibley

Murilo Vicente L. Ribeiro
Siga-me!

Murilo Vicente L. Ribeiro

Murilo Vicente Leite Ribeiro é blogueiro desde 2004. Tecnólogo na Área de Transito e Transportes, é graduando em Pedagogia e tem especialização em Direito Público e Privado. Criador do blog Murilovisck, ficou em segundo lugar no top blog Brasil 2012. Hoje tem uma parceria com o pro. Carlos Wizard Martins para direção do site OsMormons.com. Casado, tem dois filhos e trabalha na área de licitações públicas. É Presidente da Estaca Goiânia Brasil Sul.
Murilo Vicente L. Ribeiro
Siga-me!