No funeral do Presidente Boyd K. Packer o nosso querido Profeta Thomas S Monson disse “Ele se foi para aquele Paraíso para o qual ele está muito bem qualificado. Ele continua a viver para sua família e todos aqueles que conheceram o seu legado de amor cristão e serviço devotado.”

E enquanto assistia ao funeral, pensei em outro casal de amigos, também velhinhos e já debilitados pela doença e a idade avançada. Ao contrario do Presidente Packer, eles não tem respostas a respeito de para onde irão, se existe ou não vida após a morte e se algum dia irão se reencontrar novamente e se reconhecer como família. O desespero em algumas horas toma conta e o medo da morte paira no ar… Você conhece alguém em uma situação como essa também?

O contraste entre as famílias certamente é grande e, nessas horas, é possível perceber que nos momentos finais de uma pessoa, muitas coisas ganham um novo sentido. Aqueles desejos por bens materiais perdem o sentido, e o que aumenta é o desejo de que de alguma forma possam ser lembrados como alguém que fez a diferença na vida de outras pessoas, principalmente seus familiares e amigos.

Em Seu amor e bondade, Deus sabia que vocês e eu teríamos o desejo de ficar eternamente ligados a nossos pais e aos pais deles.Ao entrarmos para a Igreja, sentimos o coração voltar-se para nossos familiares, tanto para os vivos como para os que estão no mundo espiritual.Mas como sabemos, existe oposição em todas as coisas e Satanás prega em nossos dias a respeito do “amor livre”, do direito de fazer o que bem entender com sua “própria vida” – e parece estar cegando os olhos de muitas pessoas, porque muitos têm comprado esse amor que vem embrulhado em um papel colorido. No entanto, Satanás não diz que esse amor vem com prazo de validade vencida, que não existe troca e que no final o que restara é o vazio de uma vida solitária. No final das contas não é amor, é apenas uma ilusão…

O próprio Presidente Packer falou alguns meses atrás a respeito do amor verdadeiro. Ele disse: “Embora os costumes variem, esse romance floresce com todos os sentimentos de entusiasmo e expectativa, e, às vezes, até de rejeição, típicos das histórias românticas. Haverá luar e rosas, cartas e canções de amor, poesias, mãos dadas e outras expressões de afeto entre um rapaz e uma moça. O mundo desaparece em torno do casal, e eles vivenciam sentimentos de grande alegria.
“E se vocês acham que o pleno arrebatamento do jovem amor romântico é a soma total das possibilidades que emanam da fonte da vida, ainda não viveram para ver a devoção e o reconforto do amor daqueles que estão casados há muito tempo. No matrimônio, o casal é posto à prova por tentações, mal-entendidos, problemas financeiros, crises familiares e enfermidades, mas, ao longo de tudo isso, o amor se torna mais forte. O amor maduro proporciona uma felicidade suprema que os recém-casados nem sequer imaginam.

“O verdadeiro amor exige que se reserve até depois do casamento a expressão desse afeto que destrava os sagrados poderes da fonte de vida. Isso significa evitar situações em que o desejo físico possa assumir o controle. O puro amor pressupõe que, somente após o juramento de fidelidade eterna, em uma cerimônia legal e legítima, e de preferência após a ordenança do selamento no templo, é que esses poderes de procriação serão permitidos aos olhos de Deus para a plena expressão do amor. Isso deve ser compartilhado única e exclusivamente com alguém que seja seu cônjuge eterno.
“Quando partilhado dignamente, esse processo combina os mais sublimes e elevados sentimentos físicos, emocionais e espirituais associados à palavra amor. Essa parte da vida não tem equivalente em toda a experiência humana. Há de durar eternamente se forem feitos e cumpridos os convênios, “pois [na Casa do Senhor] são conferidas as chaves do santo sacerdócio, para que recebais honra e glória” (D&C 124:34), “glória essa que será uma plenitude e uma continuação das sementes para todo o sempre” (D&C 132:19).

“Mas o amor romântico é incompleto, apenas um prelúdio. O amor é nutrido pela chegada dos filhos, que emanam da fonte de vida confiada ao casal no matrimônio. A concepção ocorre no enlace matrimonial entre marido e mulher. Um minúsculo corpo começa a se formar segundo um padrão de magnífica complexidade. Uma criança vem ao mundo no milagre do nascimento, criada à imagem de seu pai e de sua mãe terrenos. Dentro de seu corpo mortal está um espírito capaz de sentir e perceber as coisas espirituais. Adormecido no corpo mortal dessa criança está o poder de gerar descendentes à sua própria imagem.”

Não precisamos esperar morrer para aprender sobre a vida e entender essas verdades. Podemos saber hoje mesmo – nesse exato momento – que elas são verdadeiras. Basta perguntar a Deus o Pai Eterno em nome do Salvador Jesus Cristo e pelo poder do Espírito Santo essas verdades serão confirmadas no coração daquele que com sinceridade buscar saber por si mesmo. (Moroni 10:3-5)

Sei que nosso Pai Celestial e Jesus Cristo vivem. Eles são Seres ressuscitados e glorificados que nos amam e zelam por nós. As chaves do sacerdócio foram restauradas em nossos dias por mensageiros celestes ao Profeta Joseph Smith e foram passadas numa linha ininterrupta até o Presidente Thomas S. Monson. Cada um dos Apóstolos vivos possui essas chaves.
Adeus Presidente Boyd K. Packer, até que nos encontremos de novo. Você foi grande!

Isis Avila

Isis Avila serviu na Missão Brasil SP Interlagos - A Bela. Solteira, estudante da BYU, apaixonada pelo Programa do Instituto e também Astronomia. Acompanha mais grupos no Facebook do que deveria, é abastecida por doces e música e é também uma gaúcha tricolor cujo pampas hoje não têm mais fronteiras.

Últimos posts por Isis Avila (exibir todos)