No dia 10 de outubro de 2015, foi realizado no abrigo Pequeno Cotolengo em Curitiba/Paraná, o projeto mãos que ajudam, projeto esse que foi feito com a ajuda dos voluntários do JAS(Jovens Adultos Solteiros) de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Aproximadamente 210 jovens de Curitiba e região se reuniram no sábado pela manhã, realizando serviços de manutenção, limpeza, jardinagem, separação de roupas, remédios, doações, teatro e canções de fortalecimento. O objetivo desse projeto era fazer com que o hospital recebesse ajuda voluntária necessária e praticar um pouco do amor ao próximo que os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias aprendem diariamente.

Segue o relato de algumas pessoas que participaram do projeto Mãos que Ajudam.

Pe. Renaldo Amauri Lopes – Diretor Presidente do Hospital Pequeno Cotolengo – Para nós do hospital Pequeno Cotolengo, a atividade que vocês realizaram hoje foi muito boa e importante, porque além de ser uma grande ajuda na parte manual, é também para nós, como instituição que acolhe as pessoas com deficiências múltiplas um momento de intercâmbio, é um momento aonde nossos moradores podem estar interagindo com as pessoas da comunidade, com pessoas que vem de outros locais. Então, o foco principal, muito mais do que o trabalho manual é esse momento de convivência para que eles percebam que lá fora, tem pessoas que se interessam por eles, e para aqueles que vêm de fora da comunidade também sentir uma necessidade de estar junto daqueles que por algum motivo foram abandonados pelas suas famílias, mas que encontram em uma instituição o aconchego, o calor e o necessário para VIVER. Em base a importância é o ganho espiritual, o ganho emocional, pois para nós isso é muito importante e nós agradecemos e esperamos que isso possa ser multiplicado por vocês novamente e por outras pessoas que tem o interesse de estar conhecendo uma instituição de filantropia e conhecendo também a necessidade daqueles que estão fora da sociedade, mas que vivem em uma instituição com a esperança que a sociedade possa estar acolhendo cada um deles.

Thamiris Pêgas(Ala Ahú, estaca Curitiba) – Tivemos oportunidade de receber instruções edificantes dos nossos líderes na conferência geral no final de semana passada, muitos discursos falaram sobre arrependimento, fortalecer uns aos outros, guardar os mandamento, AMAR O PRÓXIMO.

Sabemos que a fé sem obras é morta e sou muito grata de ter participado do projeto “mãos que ajudam” no Pequeno Cotolengo. Sem dúvidas, servir o próximo nos deixa mais próximo do nosso Salvador e saímos muito mais edificados, revigorados e dispostos a praticar o bem!

Fomos organizados em diversos grupos que ajudaram como puderam com a manutenção do jardim, separação de roupas no bazar, remédios, cantaria para as crianças e adultos que estão lá. Tive a oportunidade de participar do coral tendo mais contato com os moradores. Sem dúvidas muitas situações são de cortar o coração, mas ainda assim foi possível sentir amor e alegria entre eles, de uma maneira pura onde dificilmente encontro no meu dia a dia. Sei que o Senhor ama a cada um de nós, e se colocarmos em prática o que está em Mosias 18:8-9

“E sendo que estais dispostos a carregar os fardos uns dos outros, para que fiquem leves; sim, e estais dispostos a chorar com os que choram; sim, e consolar os que necessitam de consolo”. Sentiremos o amor de Cristo fazer efeito em nossas vidas! (Ala Ahú, estaca Curitiba)

Alexandra Peterlini (Ala Tanguá, Estaca São Lourenço) – Acredito que hoje foi um dos melhores dias da minha vida, porque eu realmente pude ver o amor de Cristo. Em um determinado momento estávamos cantando para um jovem que tinha paralisia cerebral e o único movimento que ele podia fazer era “piscar”, e nós cantamos para ele: “Se você está feliz pisque os olhos…” e ele piscava, então, naquele momento eu pude sentir o espírito do Senhor, eu pude sentir o quanto Cristo ama aquelas pessoas e como Ele é o caminho para todos nós, para que nós possamos tomar Ele como exemplo e tornar toda a caridade e toda a bondade que Ele teve no ministério dele em prática hoje, nesse dia, com essas crianças. Hoje eu tive a certeza de que essas crianças são anjos do Pai Celestial, apesar das provações, é impressionante o amor que eles passam para nós. Foi uma experiência muito boa, eu amei estar lá. Foi uma experiência maravilhosa da qual eu vou guardar para sempre na minha vida.

Amauri Augusto (Ala Jardim Itália, Estaca Curitiba Iguaçu) Diretor Regional do JAS Curitiba juntamente com sua Esposa , Noeli Augusto.

Hoje houve redenção em Sião, pois mais de 210 voluntários do JAS regional de Curitiba, participaram do projeto de serviço mãos que ajudam na entidade Pequeno Cotolengo. Vimos jovens trabalhando no jardim, separando doações, entregando alimentos, passeando com portadores de necessidades especiais, fazendo teatros, contando histórias, e sendo abençoados pelo serviço abnegado e caridoso, foi uma experiência singular, espiritualmente edificante, de forma que atividades como essas mostram o espírito verdadeiro de Cristo. “Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes (Mateus 25:40). Presto testemunho sagrado dessa obra, pois hoje foi um assombro, testifico em nome de Jesus Cristo amém.

Siga-me!

Carlos Goes

Carlos Goes serviu na Missão Porto Alegre Sul entre 2000 e 2002, é Professor de Inglês e desenvolvedor de metodologias de ensino, fotógrafo e microempresário. É dono da página A Eternidade é Logo Ali. Atualmente é Líder do MAS/JAS de sua ala juntamente com a sua esposa.
Siga-me!

Últimos posts por Carlos Goes (exibir todos)