Um dos muitos títulos dados a Jesus Cristo é o de Grande Sumo Sacerdote (Ver Hebreus 5). Para entendermos esse título messiânico, devemos primeiramente compreender o papel e a importância do Sumo Sacerdote nos tempos antigos. Durante o êxodo, quando os israelitas estavam acampados aos pés do Monte Sinai, o Senhor desejou que todos os Seus filhos fossem capazes de entrar em Sua presença dentro das paredes do Templo ou Tabernáculo. No entanto, por causa da sua iniquidade ao criarem um bezerro de ouro, Deus, instituiu o Sumo Sacerdote em lugar de toda a Israel, tornando-o intercessor de Seu nome. Para ajudar a simbolizar seu importante papel como mediador e como um tipo de Cristo, cada peça do vestuário do Sumo Sacerdote apontava para o Messias.

“O sumo sacerdote usava oito vestes sagradas. Destas, quatro eram do mesmo tipo usado por todos os sacerdotes, e quatro eram exclusivas para o Sumo Sacerdote.” [1]

As vestes usadas por todos os sacerdotes eram, em primeiro lugar, as Vestes Sacerdotais ou calças. Estas calças de linho foram feitas para “cobrir a nudez” dos sacerdotes e os cobria desde a cintura até os joelhos (Êxodo 28:42). Em segundo lugar, a Túnica Sacerdotal ou Manto, que era igualmente feita de linho branco e cobria a maior parte do corpo do sacerdote (Êxodo 28: 39-40). Em terceiro lugar, a Faixa Sacerdotal feita de linho branco para o sacerdote normal, e uma faixa bordada feita de ouro, azul, púrpura, escarlate e branco para o Sumo Sacerdote, e era usada como um tipo de cinto em torno da túnica ou manto. Em quarto lugar, um Turbante Sacerdotal, Mitra ou Barrete, que era uma longa faixa de linho branco enrolado em volta da cabeça do sacerdote.

As quatro peças douradas de vestuário usadas apenas pelo Sumo Sacerdote eram, em primeiro lugar o Manto Sacerdotal Azul, sem mangas e sem emendas, que era aproximadamente a largura de uma mão mais curta do que a túnica branca inteira. Na parte inferior do manto azul foram alternados sinos de ouro e borlas em forma de romã em lã azul, púrpura e escarlate. Em segundo lugar, o Éfode, um colete ou avental ricamente bordado com duas pedras de ônix fixadas nos ombros, em que foram gravados os nomes das tribos de Israel. [2] Em terceiro lugar, o Peitoral, que tinha doze pedras diferentes em bases de ouro, presas ao Peitoral, cada uma delas gravada com um dos nomes das tribos de Israel. O Peitoral era dobrado ao meio para criar um bolso onde o Urim e Tumim eram armazenados. O tecido para o Êfode e para o Peitoral era tecido com fios de ouro, de lã azul, púrpura e carmesim, e de linho branco. O Peitoral era preso no topo por correntes trançadas em ouro presas às duas pedras do ombro, e na base por fitas azuis amarradas ao Éfode. A última das vestes douradas do Sumo Sacerdote era a Coroa, vestida a frente do turbante e presa à testa por duas fitas azuis, na coroa estava inscrita as palavras “Santidade ao Senhor” (Êxodo 28: 36-38).

Cada uma das peças de vestuário, incluindo os seus materiais e cores, apontava para Jesus, o Messias, o Grande Sumo Sacerdote. Primeiro, vamos discutir os quatro paramentos de linho branco. O branco na Bíblia representa a pureza, enquanto que a palavra hebraica que era freqüentemente usada para o linho significa “separação”.[3] A pureza e separação do mundo são ambos símbolos perfeitos da vida de Cristo.[4] João, lembrando-se da túnica branca e sem costuras, usada pelos sacerdotes, nos diz que na cruz Jesus igualmente usava uma túnica sem costuras (ver João 19: 23).

No manto azul foram fixados alternadamente sinos e borlas de romã. Quando o Sumo Sacerdote andava os sinos tocavam, lembrando a todos em torno dele, que estavam na presença do Sumo Sacerdote, o representante do Senhor. A romã nas escrituras representa fecundidade, posteridade e prosperidade, uma vez que existem literalmente centenas de sementes em uma única fruta. E por meio da Expiação do Messias somos todos feitos filhos de Cristo e herdeiros de seu Reino.

“Nas escrituras… a testa representa onde os pensamentos de uma pessoa vivem e, portanto, o que ela ama ou deseja… Pela mesma razão, o Sumo Sacerdote usava um selo de ouro gravado na testa que dizia “Santidade ao Senhor” (ver Êxodo 28: 36-38). Isso era um lembrete de que seus pensamentos deveriam sempre ser santos, como o resultado de ações ao seguirem-lhe o exemplo.[5]

Talvez a parte mais significativa e cara do vestuário do Sumo Sacerdote fosse o Éfode e o Peitoral. De acordo com a Bíblia, as pedras sobre os ombros, gravadas com os nomes das doze tribos de Israel, representavam que o Sumo Sacerdote devia simbolicamente suportar ou carregar Israel sobre seus ombros em todos os momentos. As doze pedras sobre o peitoral, da mesma forma, representavam que ele deveria levar Israel em seu coração (ver Êxodo 28: 12, 29-30). Quando Cristo expiou no Jardim do Getsêmane e morreu na cruz do Calvário, literalmente carregou todo o mundo sobre seus ombros e em seu coração.

O Manto azul, o Éfode e o Peitoral eram todos feitos de linho e lã, e das mesmas cinco cores; Ouro, azul, púrpura, escarlate, e branco. O linho representa novamente a “separação” do mundo, enquanto a lã pode ser conectada às ovelhas que foram usadas em muitos dos sacrifícios do templo.

O ouro nas escrituras representa a riqueza, o poder, o reino celestial e o divino.[6] O azul representa todas as coisas celestiais, sendo a cor do céu. O manto exterior do sacerdote sendo inteiramente azul “enfatizava o fato de que sua autoridade era de origem celestial e sua vida era a tipificação de Deus e de Cristo”.[7] A cor púrpura representa a realeza, poder, riqueza e majestade. Produzir tintura púrpura nos tempos antigos era extremamente caro e difícil, o que significa que apenas os mais ricos poderiam dar-se ao luxo de usar a cor púrpura.[8] É interessante notar que Cristo, de acordo com Marcos e João, foi vestido com uma túnica púrpura pelos soldados antes de sua crucificação em um esforço para zombar dele como o Rei dos Judeus (ver Marcos 15:17 e João 19 : 2-3). A cor escarlate, ou vermelha representa o pecado, a mortalidade, a morte e a ressurreição.[9] No mesmo relato dos soldados zombeteiros, Mateus nos diz que a túnica era escarlate (ver Mateus 27:28). Além disso, o livro de Apocalipse retrata Cristo em Sua Segunda Vinda vestindo uma veste mergulhada em sangue, tornando-a vermelha (ver Apocalipse 19:13). Como já foi mencionado, o branco representa a pureza e tipifica o tipo de vida que Cristo viveu.

Assim como as cinco cores estavam inteiramente entrelaçadas e unidas em um único pedaço de tecido, assim também os atributos de Cristo (tipificados por cada uma das cores) foram combinados em um, para demonstrar a graça salvadora de Cristo, o número cinco representando a Graça de Deus nas escrituras.[10] Cada atributo por si só é poderoso, mas somente quando eles estão todos juntos e entrelaçados é revelado o verdadeiro poder da Expiação. O fato de que as doze pedras preciosas, representando Israel, foram presas ao peitoral, que simboliza os atributos de Cristo, nos ensina que nós, como Israel, somos ligados a Cristo e feitos um com Ele por causa de sua vida perfeita e Expiação Infinita.

Como Paulo escreveu: “Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; mas um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e encontrar graça, para sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hebreus 4: 14-16).

Artigo original em inglês publicado em: http://www.redeemerofisrael.org/2015/06/jesus-christ-great-high-priest.html .Traduzido por Marcelo de Almeida

www.redeemerofisrael.org
One of the many titles given to Jesus Christ is that of the Great High Priest (see Hebrews 5). To understand this Messianic title, we first must understand the role …

(Ver também Messages of Christ: Jesus Christ the Great High Priest https://www.youtube.com/watch?v=T6h2KhLtFAg – Legendas em português por Marcelo de Almeida)

Notas

[1]High Priest of Israel, Wikipedia
[2]High Priest of Israel, Wikipedia
[3]Linen, BibleStudyTools.com
[4]Revelation 15:6speaks of the seven angels being likewise clothed in white linen
[5]The Lost Language of Symbolism, by Alonzo L. Gaskill, page 39 (see Forehead)
[6]The Lost Language of Symbolism, page 91-93 (see Gold)
[7]The Lost Language of Symbolism, page 89-90 (see Blue)
[8]The Lost Language of Symbolism, page 96-99 (see Purple), also seeEsther 6:7-8,8:15when Mordecai is dressed in a purple robe to represent the royal favor of the king.
[9]The Lost Language of Symbolism, page 99-102 (see Red/Scarlet)
[10]The number 5, The Bible Study Site
[11] The book of Hebrews mentions the term ‘high priest’ 20 times, and is by far the best scriptural source for teaching about the relationship between the High Priest and Jesus Christ.

Siga-me!

Marcelo de Almeida

De Fortaleza/CE, e com 34 anos, Marcelo de Almeida é solteiro, missionário retornado e serve como Diretor de Indexação da Estaca. Ele estuda Enfermagem e é SUD desde os 16 anos, tendo servido na Missão Brasil Londrina.
Siga-me!

Últimos posts por Marcelo de Almeida (exibir todos)