Tive o privilégio de conhecer o sistema de indexação antes mesmo de se tornar um programa oficial. Acredito que foi entre 2004 e 2005. Minha mãe, que sempre esteve envolvida com genealogia e projetos pilotos da Brigham Young University e FamilySearch, acabou achando um site que reunia todos os sistemas em fase de testes liberados ao público. Lá também estava o primeiro piloto da Árvore Familiar do FamilySearch – isso mesmo, este projeto já havia sido idealizado naquela época com um lay-out muito parecido com suas primeiras versões oficiais, mas isso é outro assunto. Gostaria de focar na indexação e nos milhares de voluntários que participam desta atividade tão envolvente.

Juntamente com outras pessoas administro um grupo no Facebook chamado Indexação do FamilySearch. Lá somos quase 8.000 participantes. É motivador observar de longe o desenvolver de atividades, projetos e planos de ação por parte de muito que virtualmente ali estão. Conheço experiências de pessoas que iniciaram com receio suas atividades como voluntários, mas que agora, pouco tempo depois, se tornaram hábeis indexadores ou conferentes. Conheço também várias pessoas que nem sequer são membros da igreja e adoram participar disso tudo. Recentemente criamos o que chamamos de TOP30, que é uma lista dos grupos que mais indexam na Área Brasil. Confesso que ficamos apreensivos, pois a ideia sempre foi motivar e criar oportunidades, deixando longe a competição. Considero especiais todos os participantes daquele grupo, mesmo aqueles que participam apenas curtindo as publicações.

Vivendo tudo isso eu percebi que existem dois tipos de voluntários: os velocistas e os fundistas. Por definição o velocista é um atleta que se dedica a corridas de velocidade, ou seja, ele corre o mais rápido possível naquela prova e para. A corrida de 100 metros exemplifica bem o que eu quero que percebam, pois atualmente os melhores da categoria percorrem este trajeto em menos de 10 segundos.

Já os fundistas são atletas que correm, por exemplo, 3.000, 5.000 e até pouco mais de 42.000 metros, como é o caso das maratonas. Percebemos que eles não começam a prova a toda velocidade, pois o caminho é longo. Eles procuram manter um ritmo constante até os momentos finais da prova, pois quando chagam nos últimos metros dão o sprint final, ou seja, pegam todo o vigor que ainda lhes resta e disparam para finalizar a corrida.

Quero te convidar a se tornar um excelente fundista na indexação do FamilySearch. Seja qual for a sua meta acostume-se a manter um ritmo constante, incluindo esta atividade em suas rotinas diárias. Defina um tempo em sua agenda para indexar e prepare-se para se surpreender com experiências espetaculares.

Siga-me!

Rodrigo Rizzutti Sette

Rodrigo Rizzutti Sette é membro da igreja desde 1991, é casado e pai de duas filhas. Serviu como missionário de tempo integral na Missão Brasil Curitiba e em duas ocasiões como missionário do FamilySearch. É empresário e fundador do Genealogia na Prática que mantém projetos que tratam de assuntos relacionados com genealogia, suas técnicas e ferramentas.
Siga-me!