Nos últimos dois artigos, propus uma breve discussão sobre a questão das drogas e sua invasão em nossos ambientes, tão presente se encontra em nossas vidas, mesmo contra nossa vontade. Ao viver em sociedade, estamos automaticamente sujeitos à extensão dos danos provocados por outras pessoas, em maior ou menor proporção, ou senão por nossas próprias ações e escolhas.

Em condições normais, os pais de todos os lugares do mundo desejam o melhor para seus filhos e lhes têm profundo amor, estando sempre dispostos a se sacrificarem constantemente por seu bem estar. Isso inclui trabalhar longas horas para prover seu sustento e estudos, dar-lhes a atenção necessária, vesti-los e alimentá-los da melhor forma possível, e sonhar –lhes os mais refinados sonhos, desejando que seus amados sejam tudo aquilo que eles, pais, não puderam, não quiseram ou não conseguiram ser.

Infelizmente nem sempre as coisas saem como almejamos: no desenrolar dos acontecimentos, os desejos e necessidades de uns podem se conflitar com os de outrem, os rumos inicialmente traçados podem nos levar par caminhos que não imaginávamos. Estas incongruências ou alterações na rota se dão por vários motivos: um deles pode ser o fato de simplesmente não termos traçado o caminho a seguir previamente. Muitas pessoas deixam-se levar pelos acontecimentos e pela vontade dos outros, agindo na maioria das vezes de forma passiva; costumam apresentar temperamento e comportamento fluidos, que se moldam facilmente às circunstancias e ambientes em que se encontram. Outros demonstram não possuir a determinação necessária para manter seus objetivos em perspectiva, antes agem como folhas ao vento, sugestionáveis que são à influencia de amigos, mídia, familiares e demais pressões que recebem. Tais enfrentamentos irão determinar grandemente a maneira como cada um de nos tece sua historia ao longo dos anos que tem para viver na Terra, assim como o tipo de vida que iremos construir para nós e aqueles que nos rodeiam ou pelos quais somos resp0onsaveis.

Um Criador amoroso e justo proporcionou-nos o milagre da vida, nele residindo a possibilidade de exercer os poderes da mente e coração, buscando a tão sonhada realização humana. Aqui está contido o Tempo, que encerra em si mesmo o desabrochar de novos dias que consecutivamente nos dão a oportunidade de recomeçar nossos empreendimentos, rever nossas atitudes, modificar o que vai mal, aperfeiçoar aquilo que vai bem, reavaliar nossas metas, enfim, dar vazão aos nossos talentos e criar também, dentro de nossas perspectivas.

O mesmo bondoso Criador ofertou-nos também o maravilhoso dom do livre arbítrio, que nos possibilita escolher os rumos que desejamos tomar em nossas pequenas e grandes decisões. Segundo este dom, é nos dada a faculdade de posicionar nosso olhar, anseios e sentimentos na direção que aspiramos, e logicamente, recolher como fruto de nossas escolhas as situações correspondentes .

Está escrito “Onde estiver o teu desejo, aí está também teu coração”, significando que cabe a nós direcionar nossos pensamentos para os objetivos positivos e desejáveis, que nos levarão a patamares mais elevados do que os que atualmente ocupamos, sendo esta, em síntese, a proposta e o convite do Cristo para toda a humanidade…

Siga-me!

Suzana Mcauchar

Membro da Igreja há 35 anos, é casada e mãe de dois filhos. Psicóloga credenciada nos Serviços Familiares SUD. Serve como 1ª Conselheira na Sociedade de Socorro e como Professora na Escola Dominical. Trabalha com políticas públicas na Prefeitura de Juiz de Fora, além de ser professora universitária.
Siga-me!