Um de nossos maiores inimigos, no que diz respeito à nossa saúde espiritual, é a nossa dificuldade que temos de perdoar a nós mesmos.

Que castigo será que mereceria, se nós fôssemos os juízes, se um homem, que já era riquíssimo, poderoso, e que já tinha muitas esposas, e se ele se engraçasse com a esposa de um simples soldado, homem justo e bom, e adulterasse com ela em segredo?
E se, para piorar muito as coisas, esse poderoso homem, usando de sua influência política e militar enviasse uma ordem (pelo próprio soldado!) para o superior de tal soldado justo, para que o mesmo fosse colocado na linha de frente numa batalha, para que o soldado fosse morto logo, para que o adúltero e poderoso senhor tomasse para ele a esposa do soldado?
Vamos deixar que o próprio poderoso senhor, que era rei em Israel, o Rei Davi, responda tal pergunta, ao ser questionado pelo profeta de Deus, Natã, devido a Davi ter cometido exatamente tal pecado de adultério e assassinato:
Em II Samuel 12:10–31 podemos ler a resposta do Rei Davi a Natã:
”Então o furor de Davi se acendeu sobremaneira contra aquele homem,(ou seja, contra o homem rico e poderoso que tomou a mulher do homem pobre e justo) e disse ao (profeta) Natã: – Vive o SENHOR, que digno de morte é o homem que fez isso. E pela cordeira (esposa roubada) restituirá o quadruplicado, porque fez tal coisa, e porque não se compadeceu”.
Natã, com a coragem que é exigida dos profetas de Deus, confrontou o Rei:
“Então disse Natã a Davi: Tu és este homem. Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel, e eu te livrei das mãos de Saul, e te dei a casa de teu senhor, e as mulheres de teu senhor em teu seio, e também te dei a casa de Israel e de Judá, e se isto é pouco, mais te acrescentaria tais e tais coisas. Por que, pois, desprezaste a palavra do SENHOR, fazendo o mal diante de seus olhos? A Urias, o heteu, feriste à espada, e a sua mulher (Bete-Seba) tomaste por tua mulher; e a ele mataste com a espada dos filhos de Amom”
O GRAVE PECADO DE DAVI
Conforme a resposta do próprio Deus, através de Natã, Davi cometeu dois graves pecados: adultério e assassinato. Com o desenrolar da narrativa da história de Davi, vemos seu grande arrependimento, e suas súplicas por perdão divino. E vemos que o Senhor o perdoou de seus pecados, porque Davi, apesar de ter cometido pecados tão sérios, se esforçou verdadeiramente a vida inteira para ser um homem justo e para obter o perdão de seus pecados.
Será que Davi merecerá TODAS as indizíveis e grandiosas bênçãos que Deus têm reservado para as pessoas valentes e fiéis que, apesar de não conseguirem ser perfeitas, guardam todos os mandamentos de Deus? A revelação moderna diz que Davi não receberá TODAS as bênçãos, mas que foi perdoado e não será enviado ao inferno, e receberá uma glória menor.
Na Bíblia encontramos essas reconfortadoras palavras a respeito do futuro eterno de Davi:
“Portanto, está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois (tu, óh Deus) não deixarás a minha alma no inferno.” (Salmo 16:9-10)
VÌDEO
No vídeo abaixo, quem quiser poderá ver um resumo da vida do Rei Davi.
https://www.lds.org/media-library/video/2010-12-29-chapter-29-king-david?lang=por
O QUE É ARREPENDIMENTO
Vemos portanto, que apesar de Davi ter cometido sérios pecados, ele receberá perdão e merecerá bênçãos grandiosas de Deus, por ter-se arrependido sinceramente de seus pecados.
E o que é o arrependimento sincero?
“O arrependimento é como um sabão. É o sabão da vida. Como o sabão, ele limpa os pecados da vida. É para ser usado com a freqüência que for necessária. Devemos manter em mente, no entanto, que o uso inadequado — falta de limpeza total e esforços não sinceros — resulta em uma cor acinzentada, encardida. No entanto, quando usado devidamente, o sabão da vida, limpa por completo e permanentemente. (…)
Um dia (…) seremos levados diante do tribunal do Senhor. Lá permaneceremos com manchas, sujos e impuros, ou por aceitação e aplicação da grande e maravilhosa dádiva de limpeza — pelo sabão da vida — estaremos limpos, perdoados e puros diante do Senhor. Na próxima vez em que usar sabão, você poderá também pensar em limpar seu espírito aplicando-lhe o sabão da vida, a lei universal do arrependimento.” (“Repentance”,Improvement Era, novembro de 1968, pp. 64, 67)

O Presidente Harold B. Lee ensinou: “O mais importante de todos os mandamentos de Deus é aquele que você está tendo mais dificuldade em guardá-lo hoje. Se estiver relacionado à desonestidade, à castidade, à falsidade, a não dizer a verdade, hoje é o dia para esforçar-se até que seja capaz de vencer essa fraqueza. E depois então, comece pelo próximo que for mais difícil de cumprir”. (“Californians Hear President Lee”,Church News, 5 de maio de 1973, p. 3)

UMA HISTÓRIA MODERNA DE ARREPENDIMENTO E PERDÃO
O Élder Sterling W. Sill, contou a história a seguir:
“Há algum tempo conversei com uma senhora de 53 anos de idade, que cometera uma transgressão moral aos 18. Ela sabia que seu pecado era grave, mas, por haver-se arrependido milhares de vezes, podemos confiar na promessa do Senhor de que fora perdoada. No entanto, ela nunca se perdoou. Por sentir-se impura e inferior, afastou-se de suas amizades, recusou casar-se e tornou-se uma espécie de reclusa social e espiritual. Durante 35 anos, ela degradou-se a si mesma, com acusações e recriminações pessoais. Sua vida de remorso transformou-se em algo muito abaixo da pessoa maravilhosa que Deus pretendia que ela fosse. Seu pecado aos 18 anos fora muito grave, mas durante 35 anos ela o tornara ainda maior, desperdiçando a coisa mais valiosa do mundo, que é uma esplêndida vida humana.” [What Doth It Profit(1965), p. 183]
“Quando ficamos remoendo nossos fracassos e erros, ou continuamos a abrigar no coração ressentimentos, recusando-nos a perdoar a nós mesmas ou aos outros, desperdiçamos tempo e energia, sem realizar coisa alguma, e inibimos nosso progresso espiritual.”(O Perdão, lição 8)
COMO SABER SE FOMOS PERDOADOS POR DEUS?
Essa é uma pergunta recorrente que muita gente tem nas suas mentes, embora não a externem a ninguém, geralmente. Essa é também uma das melhores armas de Satanás, ao nos sussurrar que “-Você não tem mais jeito! Você é um caso perdido. Por que ficar evitando de pecar, se você já cometeu AQUELE pecado?Esqueça esse negócio de Igreja e aproveite a vida!”.
É dessa forma, segundo Nefi, que Satanás nos engana (se nós não confiarmos em Deus e nas Suas promessas) e nos conduz “cuidadosamente”ao inferno.
Uma das maneiras que podemos saber se fomos perdoados é através do Espírito Santo. Se, apesar de nossa mente carnal ficar nos relembrando de nossos erros passados, nós sentirmos que nos arrependemos verdadeiramente de nossos erros, poderemos saber que fomos perdoados.
Através do perdão da Igreja, também, podemos saber que poderemos obter o perdão divino. Não é a Igreja que perdoa, mas sim Deus; os líderes inspirados podem, porém, ser porta-vozes do Senhor para nos transmiterem a promessa divina do perdão dos pecados.
Quando eu me batizei na Igreja, há uns 40 anos, eu me senti muito bem, me senti leve como nunca sentira. Contudo, devido a um ensinamento que eu adquirira num livreto das Testemunhas de Jeová, eu entendera mal a questão do pecado imperdoável, e isso me angustiava a alma. Eu achava então que, por ter-me afastado da Igreja Católica, após a primeira comunhão, e ficar tantos anos sem frequentar igreja nenhuma, talvez eu já tivesse cometido o pecado imperdoável.
Hoje isso me parece ridículo, mas naquele tempo de membro novo esse pensamento me perturbava. Deus, porém, colocou em meu caminho um abençoado missionário, Elder Xavier, com quem fui “dividir” (acompanhar), certa vez, numa palestra. Comentei com ele sobre o assunto do pecado imperdoável e ele, sabiamente, e com coragem, disse-me:
“-Você não cometeu esse pecado imperdoável. Pode esquecer isso! Prometo que, se por acaso você tiver que responder por isso, EU ASSUMO o pecado sobre mim! Porque sei que você não cometeu tal coisa!Pode ficar tranquilo quanto a isso.”
Essas palavras me tranquilizaram muito. O Elder Xavier foi realmente inspirado ao dizer isso, porque aquele jovem recém-batizado, há 40 anos, que sou eu, estou na Igreja SUD até hoje, já servi uma missão de tempo integral e trabalhei (e trabalho), voluntariamente, em cargos e responsabilidades na Igreja.
Uma promessa final:
Se você, ao alcance de minhas palavras (por estar lendo isso), achar que já está perdido, que não tem mais chance de ser perdoado, saiba que isso não é verdade! Deus tem um amor incondicional por todos e cada um de nós, de tal forma que receberemos muito além do que achamos que merecemos! Na casa do pai existem “muitas moradas”. Ele nos recompensará aqui e no além, se confiarmos em Suas promessas e nos arrependermos de nossos pecados, e trabalharmos em prol do Reino de Deus. Certamente receberemos mais do que esperamos!
O Deus que adoramos é um Deus que quer o nosso sucesso e nossa felicidade: Ele quer que vivamos aqui na Terra uma “explêndida vida humana”, conforme disse Sterling Sill na história que contei, e que confiemos que receberemos Salvação e Exaltação nos gloriosos Reinos de Glória.
Para finalizar este artigo, uma promessa de Jesus Cristo, que está em João 6:39:
“E a vontade do Pai que me enviou é esta: que de todos quantos (o Pai) me deu, nenhum se perca, mas que (Eu) o ressuscite no último dia.”

Siga-me!

Luiz Polito

Luiz Polito serviu na Missão Brasil Rio de Janeiro (1978/80). É músico e microempresário. Proprietário de um Sebo Virtual, chamado Higino Cultural. E atualmente serve como Consultor de História da Família na Ala Bauru - Estaca Bauru.
Siga-me!