“A minha dúvida doutrinária diz respeito ao selamento para a eternidade entre pessoas que não tiveram como se casar nesta vida. Por exemplo, as crianças.

1) Sabemos que as crianças que faleceram antes da idade da responsabilidade serão exaltadas.
2) Sabemos que para ser exaltado, temos que ter a ordenança do selamento no templo.
3) Sabemos que este selamento não pode ser feito após a ressurreição, mas antes (Seria isto uma doutrina oficial? Vi isto no Manual do Instituto “Vida e Ensinamento de Jesus Cristo e Seus Apóstolos”)
4) Sendo assim, antes de ressuscitarem os espíritos que deixaram a mortalidade ainda na infância precisarão ser selados a um cônjuge.
5) Também sabemos que as crianças ressuscitarão no tamanho em que faleceram e que suas mães as criarão até a idade adulta.

Aí entra a pergunta, isto atrasaria o momento da ressurreição? E como são tantos, eles dependeriam de outros, e como ressuscitariam pequenos e casados. Enfim, existe algo aqui de eu desconheço e gostaria de entender bem esta doutrina, você poderia me ajudar com o que eu não estou vendo?”

RESPOSTA:

Obrigado pela ótima pergunta. Face ao exposto, você conhece bem a doutrina, e faltaram apenas dois detalhes pequenos mas significativos:

O Profeta Joseph Smith não disse que as mães iriam “criar” os seus filhinhos ressurretos, mas sim “nutri-los” até que chegassem à plena estatura de seus espíritos. Veja isto no manual “Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, página 186, e o mesmo (se você domina o idioma inglês) em Teachings of the Presidents of the Church: Joseph Smith, páginas 177-178.

A partir daí, várias pessoas parafrasearam o profeta (inclusive seu sobrinho, o Pres. Joseph F. Smith) dizendo que as mães “criariam” esses filhos depois da ressurreição. Sob o ponto de vista doutrinário a diferença entre esses dois verbos–criar e nutrir–é significativa, e sob a ótica doutrinária eles deixam de ser sinônimos. Pelo que entendemos atualmente, quando uma pessoa ressuscita “para a vida eterna” ela é levantada com um corpo perfeito, glorificado a nível celestial, cheio de poder e inteligência como rei/rainha e sacerdote/sacerdotisa ao Deus Altíssimo (Apocalipse 1:6; 5:10 – veja meu post em 27 de novembro de 2014 com a opinião do Élder Orson Pratt a respeito desses ofícios). As criancinhas que falecem são herdeiras da vida eterna (Mosias 15:25; D&C 137:10) e quando se levantarem, o farão da mesma forma–seus corpos tendo ainda a mesma estatura, mas cheios de poder e inteligência. Não necessitarão de chupetas, fraldas, ou alfabetização.

Assim sendo, em que consistirá o trabalho de suas mães? Ainda não temos informação oficial a respeito, mas eu imagino–ou talvez devesse dizer “eu especulo”–que essas mães terão o privilégio de ministrar a seus filhos aquilo que eles(as) não tiveram tempo ou oportunidade para aprender na mortalidade a respeito da interação entre o corpo, o espírito, e o sacerdócio, além de quaisquer outros princípios do evangelho relacionados ao corpo preparatórios para a ressurreição–talvez, por exemplo, o exercício do auto-domínio em relação a desejos, apetites, e paixões. E, abrindo um parêntesis, podemos reconhecer nisto uma das principais responsabilidades da designação de “Mãe em Israel”: a preparação e o treinamento básico de seus filhos(as) para a vida em sociedades mortais e eternas. Ao longo dos anos os futuros cônjuges irão “polir” e “lustrar” as pessoas que as suas respectivas mães terão “moldado” com a ajuda de seus maridos.

O pouco que sabemos sobre o processo da ressurreição nos leva a imaginar que a época em que iremos ressuscitar poderá estar subordinada ao término de nossa preparação para a exaltação.

“[Mas levará um grande tempo depois de ter passado pelo véu antes que tenhais aprendido {os princípios de exaltação}]. Não compreenderemos tudo neste mundo; teremos muito trabalho para aprender nossa salvação e exaltação, mesmo depois da morte.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, pág. 280 – colchetes contêm minha tradução de “But it will be a great while after you have passed through the veil before you will have learned [the principles of exaltation]” em Teachings of the Prophet Joseph Smith, p.348)
Como cada um de nós tem milhões de antepassados, precisamos considerar que a época de nossa ressurreição poderá também estar subordinada ao nosso envolvimento com o ensino dos princípios do evangelho a esses milhões de nossos parentes–que sem nós, não poderão ser aperfeiçoados, e vice-versa (Hebreus 11:40; D&C 128:15; 138:57).
Quanto ao selamento matrimonial … Considerando as altas taxas de mortalidade infantil que perduraram ao longo da história até meados do século 20, podemos dizer que neste momento devem existir bilhões de espíritos que deixaram esta vida antes de terem alcançado a idade da responsabilidade. De acordo com a doutrina da salvação para os mortos (D&C 138:34), neste momento estes espíritos devem estar sendo instruídos em preparação para receberem a sua futura herança celestial.

Os pais e mães destas criancinhas que partiram cedo desta vida podem ter certeza de que um futuro glorioso aguarda os seus queridinhos. Lembremos aqui dois conceitos importantíssimos: (1) Deus é um Pai perfeitamente amoroso e perfeitamente justo, e Ele tem um grande plano de felicidade para todos os seus filhos e filhas; e (2) espíritos são “adultos” (ou “amadurecidos”) quando recebem um corpo mortal, e continuam a ser “adultos” mesmo se falecerem ainda na infância mortal.

Com essas duas idéias em mente, podemos imaginar que um grande número de espíritos que não tiveram a oportunidade de entrar no novo e eterno convênio do casamento quando na mortalidade, poderiam agora estar envolvidos no mundo espiritual em algum relacionamento romântico e aguardando ansiosamente pela oportunidade de se comunicar com seus parentes SUD no Milênio para pedir que esses os selem vicariamente a seus/suas escolhidos(as).
O Profeta Joseph Smith ensinou: “[Todas as vossas perdas serão compensadas na ressurreição], desde que continuem a ser fiéis. Pela visão do Todo-Poderoso, eu vi essas coisas.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, pág. 54 – colchetes contêm minha tradução de “All your losses will be made up to you in the resurrection …” em Teachings of the Prophet Joseph Smith, p.296)

Por meio dessas coisas, podemos afirmar com máxima segurança que o Deus Altíssimo não privará nenhum de seus filhos(as) fiéis, e nenhum de seus filhos(as) que deixaram a mortalidade ainda na inocência da infância, das maiores bênçãos do evangelho de Jesus Cristo, incluindo a vida eterna prometida pelo novo e eterno convênio do casamento (D&C 131:1-4; 132:19-20).

(Estes comentários não constituem uma declaração oficial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias)

Siga-me!

Marcus H. Martins

Marcus H. Martins possui Doutorado (Ph.D.) em Sociologia da Religião e Relações Raciais e Étnicas. Serviu como Bispo e Presidente de Missão.
Siga-me!

Últimos posts por Marcus H. Martins (exibir todos)