Minha irmãzinha resolveu começar a namorar e com esse novo acontecimento na minha vida descobri que meu lado materno aflorou. Lembrei então da grande pergunta que surge uma hora na cabeça de cada um: “Será que é ele(a)?”.

Então hoje compartilho com vocês algumas reflexões que me auxiliaram, e sei que são de grande ajuda a todo mundo, para compreender quando estamos diante de um verdadeiro amor com direito a se tornar eterno. (Inclusive várias dessas reflexões sugeri à ela!)

Para saber se ele(a) é a pessoa para a vida eterna não existe bem uma fórmula. Depende de cada um. Porém, existem auxílios para identificar e assim receber a confirmação pelo espírito. Começo então com algumas citações à respeito do que é amor:

“O que é o amor? Muitas pessoas pensam nisso como a mera atração física quando falam em ‘apaixonar-se’ ou ‘amor à primeira vista’. Isso pode ser a versão de Hollywood e a interpretação daqueles que escrevem canções de amor e romances de amor. O verdadeiro amor não vem embrulhado num papel tão frágil e inconsistente. Uma pessoa pode sentir-se imediatamente atraída por outra, mas o amor é muito mais do que a atração física. Ele é profundo, amplo e abrangente. A atração física é apenas um de seus muitos elementos, mas é preciso haver fé, confiança, compreensão e companheirismo. É preciso haver ideais e padrões comuns. É preciso haver grande devoção e companheirismo. O amor é pureza, progresso, sacrifício e altruísmo. Esse tipo de amor nunca se cansa nem desaparece, mas sobrevive à doença e a tristeza, à pobreza e à privação, ao sucesso e ao fracasso, pelo tempo e por toda a eternidade.

Quando amamos realmente uma pessoa, preferimos morrer a prejudicá-la.”
— Presidente Spencer W. Kimball

“Você bem poderia perguntar: ‘Mas como posso saber que estou amando?’ (…) George Q. Morris [que mais tarde se tornou membro do Quórum dos Doze Apóstolos deu esta resposta]: ‘Minha mãe disse certa vez que se você encontrar uma garota em cuja presença sinta o desejo de realizar mais, que o inspire a dar o melhor de si e fazer o máximo que pode, essa jovem é digna de seu amor e está despertando o amor em seu coração’.
Considero ser (…) esse um guia verdadeiro. Na presença da moça que você realmente ama, você não sente vontade de humilhar-se; em sua presença você não procura tirar vantagem dela; em sua presença você sente que gostaria de ser tudo que um homem excelente poderia ser, pois ela irá inspirá-lo a alcançar esse ideal. E eu peço a vocês, moças, que também valorizem esse mesmo guia.”
— Presidente David O. McKay

“O mundo está repleto de pessoas como muitos de nós, propensos a demonstrar nosso amor com uma palavra ou declaração.
O verdadeiro amor é um processo. Requer ação pessoal. O amor deve ser contínuo para ser verdadeiro. O amor requer tempo. Muitas vezes, as pessoas confundem a conveniência, a paixão, estímulo, persuasão ou cobiça com o amor. Quão superficial e vazio seria nosso amor, se não fosse mais profundo do que o despertar de um sentimento momentâneo ou a expressão em palavras tão passageiras quanto o tempo que levamos para dizê-las. (…)
Devemos, em intervalos regulares e adequados, reafirmar às pessoas o nosso amor, e depois dedicar o tempo necessário para provar esse amor por meio de nossas ações. O verdadeiro amor exige tempo. O Grande Pastor pensava o mesmo ao ensinar: ‘Se me amais, guardai os meus mandamentos’ (João 14:15; grifo do autor) e ‘Se me amas, apascenta as minhas ovelhas’ (João 21:16; grifo do autor). O amor exige ação para ser contínuo. O amor é um processo. O amor não é uma declaração. Não é um anúncio nem um desejo temporário. O amor não é uma utilidade nem uma conveniência. ‘Se me amais, guardai os meus mandamentos’ e ‘se me amas, apascenta as minhas ovelhas’ são proclamações feitas por Deus que devem lembrar-nos de que muitas vezes podemos demonstrar melhor o nosso amor por meio de processos como nutrir e apascentar. (…)
O amor a Deus requer tempo. O amor à família requer tempo. O amor ao país requer tempo, o amor ao próximo requer tempo. O amor ao cônjuge requer tempo. O amor no namoro requer tempo. O amor a si mesmo requer tempo.

Quem ama tem e sente responsabilidade. Em I Coríntios, Paulo diz que o amor não suspeita mal, é sofredor e benigno. (Ver I Coríntios 13:4–5.) Observando o amor entre duas pessoas preparando-se para o casamento no templo, vemos os elementos do sacrifício e do interesse pelo outro, não um cego interesse egoísta. O genuíno amor e felicidade no namoro e casamento são baseados na honestidade, respeito próprio, sacrifício, consideração, cortesia, bondade e abnegação.”
Élder Marvin J. Ashton

“Nenhum namoro sério ou noivado ou casamento vale a pena se não investirmos plenamente tudo que temos nele, e ao fazê-lo confiarmos totalmente na pessoa que amamos. Não podemos ter sucesso no amor se ficarmos em cima do muro por motivo de segurança. A própria natureza da empreitada exige que nos agarremos um ao outro ao máximo e pulemos juntos na piscina. Nesse espírito, e no espírito do pedido de Mórmon pelo puro amor, quero incutir-lhes na mente a vulnerabilidade e a delicadeza do futuro de seu cônjuge ao ser colocado em suas mãos a fim de que seja protegido. Isso se aplica tanto ao homem quanto à mulher.

O verdadeiro amor permanece firme nos bons e maus momentos. Suporta o sol e a chuva, as tristezas mais profundas e as alegrias. Ele nunca falha. Foi assim que Cristo nos amou, e é assim que Ele espera que nos amemos um ao outro. Numa mensagem final para todos os Seus discípulos de todas as épocas, Ele disse: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis”. (João 13:34; grifo do autor.) É claro que essa capacidade de suportar semelhante à de Cristo no romance e no casamento exige mais do que todos temos realmente. Exige algo mais, uma investidura do céu. Lembrem-se da promessa de Mórmon de que esse amor, o amor pelo qual todos ansiamos e ao qual nos apegamos, é “concedido” aos “verdadeiros seguidores de Cristo”. Vocês querem a capacidade e a segurança no namoro, no romance, na vida de casados e na eternidade? Sejam verdadeiros discípulos de Jesus. Sejam santos dos últimos dias genuínos, comprometidos, em palavra e ação. Acreditem que sua religião tem tudo a ver com seu romance, porque isso é verdade.”
– Élder Jeffrey R. Holland

Compreendendo melhor a definição de AMOR, podemos então ponderar à respeito. E deixo aqui algumas ótimas perguntas para reflexão:

– Seu amor compartilha as mesmas crenças que você? (e não basta ser da mesma religião, viu?)
– Ambos possuem perspectiva eterna e têm o casamento no Templo como o maior objetivo de suas vidas?
– Você se sente elevada(o) espiritualmente na companhia dele(a)?
– Ele(a) também se sente dessa maneira?
– O relacionamento que possuem convida o Espírito em todos os momentos?
– Se sentem mais próximos do Pai Celestial quando estão juntos?
– (Para as mulheres) Você o inspira a ser um fiel e digno portador do Sacerdócio?
– Vocês podem ser excelentes indivíduos, mas quando em dupla, o “conjunto” também é?
– A felicidade dele(a) vem acima das suas necessidades?
– Ambos são estudiosos, trabalhadores e industriosos?
– Conhece os pontos fracos do seu amor e está disposta(o) a ajudar a superá-los?

E depois de tanta reflexão e estudo, a melhor forma de receber essa confirmação é fazendo uma oração sincera de todo o seu coração, tendo fé de que receberá a resposta. O Senhor lhe ajudará e guiará para encontrar a felicidade eterna. Acredite!

Às vezes a resposta poderá demorar mais do que você gostaria. Às vezes encontrar seu companheiro eterno poderá demorar ainda mais. Outras vezes um relacionamento que você muito se dedicou não dará certo como desejava. Mas o Pai Celestial conhece o seu potencial e sabe o que é o melhor para você. Quando um plano A nosso não funciona ou dá errado, pode ter fé de que um plano B, que vem do Senhor, será executado. Basta que façamos nossa parte, tendo fé e nos dedicando no seu Evangelho. E todas as outras coisas nos serão acrescentadas.

Ore sempre. Busque sempre. Acredite sempre. Viva o Evangelho todos os dias da sua vida. E o seu grande dia no Templo então chegará com aquela pessoa super especial 🙂

Siga-me!

Mary Furusho

Membro da Igreja desde criança, graças a pais pioneiros corajosos e amantes do Salvador. Trabalha há muito tempo com internet e descobriu nessa mídia uma forma de proclamar todos os dias o Evangelho de Jesus Cristo, já que é o motivo de sua grande alegria. Desde Agosto de 2014 está selada com seu melhor amigo em um casamento que trilhará a eternidade. Deseja a mesma alegria para todas as mulheres. Então, criou um blog de casamentos voltado só para os princípios SUD, a fim de ajudá-las nesse momento tão especial de suas vidas.
Siga-me!

Últimos posts por Mary Furusho (exibir todos)