Somos um país ricamente abençoado. Temos vastas florestas, rios grandiosos, uma imensidão de terras férteis para a agricultura e um litoral maravilhoso e extenso. Nossas jazidas minerais são algumas das maiores do mundo.

Além dessas riquezas naturais, temos uma grande benção, de valor eterno:

O Brasil é um país pronto para receber o evangelho restaurado!

O Brasil é, reconhecidamente, um país livre. Você pode acreditar, viver e lutar por suas ideias, livremente. Essa condição é uma grande conquista, resultado de séculos de lutas de outros que habitaram essas terras, antes de nós.

No campo político, há algumas décadas, voltamos a escolher livremente nossos governantes. Podemos votar e sermos votados. Nesse assunto, podemos dizer, em parte, que somos senhores de nosso destino.

O fato de termos uma imprensa livre também é um grande privilégio. Em muitos países do mundo, um cidadão não pode dizer nada que contrarie os interesses do estado ou de governantes.

Além disso, temos o direito de ir e vir garantido. Você pode escolher onde vai viver e ali estabelecer-se. Se cansar, mude-se.

Mas, talvez, a mais grandiosa bênção decorrente do fato de vivermos num país livre é o direito à liberdade de religião.

O direito de adorar algo em que acredita, individual ou coletivamente, é algo tão natural para nós, brasileiros, que muitas vezes, não percebemos quão preciosa é esta dádiva. Da mesma forma, o direito de não acreditar, também é protegido por lei.

Aqui podemos de fato “… adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência…”

Essas liberdades, por si só, seriam suficientes para o progresso do evangelho restaurado nesta terra. Existem, porém, outros fatores que impulsionaram o crescimento da igreja no país.

Felizmente, por nossa herança cultural portuguesa, o Brasil é um dos maiores países cristãos do mundo. Aqui, acreditar em Cristo é natural. Não é significativo que o maior ponto turístico do país seja o Cristo Redentor?

Ao contrário de outros lugares do mundo, aqui os missionários não precisam apresentar Cristo e sua missão como uma novidade. Isso torna o ensino do plano de salvação muito mais fácil.

Além disso, a receptividade para com os estrangeiros foi um fator fundamental para o estabelecimento da igreja no país. Durante décadas, a igreja dependeu muito do trabalho dos missionários norte-americanos que eram enviados aos Brasil.

O empenho e simpatia desses jovens rapazes e moças, caminhando pelo país, pregando o evangelho, sempre chamou a atenção das pessoas. Seja nas grandes e movimentadas metrópoles do Sudeste, ou mesmo nos lugares mais distantes do Norte ou Nordeste, no geral, os missionários foram muito bem recebidos pelo povo brasileiro.

Mesmo quando não aceitavam as mensagens e compromissos do evangelho, as famílias que os recebiam podiam sentir sua dedicação e amizade genuínas.

Por fim, um ponto essencial para o avanço do evangelho nestas terras é a própria família brasileira. A forma como nos organizamos em família, unidos, é essencial para o estabelecimento da igreja aqui. Os mais diferentes povos que vieram para o Brasil, da Europa, Orienta Médio, Ásia e África tem em comum o apreço pela família e sua união.

Casamento e filhos são tradições fortes em nossa cultura. Os filhos costumam permanecer na casa dos pais até depois dos 20 anos e, mesmo quando saem de casa e se casam, mantêm fortes vínculos com os pais. Além disso, ainda temos a companhia de primos e tios. Mesmo com todos os desafios que podem surgir na convivência próxima, os brasileiros querem viver em famílias.

Quando alguém recebe o evangelho e descobre que as famílias podem ser eternas, percebe que isso faz todo sentido, pois o amor que sentem uns pelos outros é, de fato, maior que a vida mortal.

Em 1980, na dedicação do Brasil para a pregação do evangelho, o então presidente do quórum dos doze apóstolos, o Elder Ezra Taft Benson orou ao Pai para que as portas do Brasil fossem abertas para a pregação do evangelho restaurado e que milhares viessem a entrar para Sua igreja.

Hoje, essa oração vem sendo atendida, de forma grandiosa.

A cada domingo, centenas de milhares de membros da igreja comparecem às reuniões dominicais nesse país, de norte a sul. Temos 6 templos em funcionamento e outros dois a serem dedicados nos próximos anos.

De uma época em que somente recebíamos missionários vindos de outros países, passamos a enviar missionários para todo o mundo. Atualmente, jovens brasileiros ensinam o evangelho na África, Europa, Ásia e em todo o continente americano.

Essas bênçãos, e muitas outras, creio que nos são possíveis pelo do fato de vivermos num país que foi preparado para receber o evangelho.

Que possamos reconhecer e lembrar de agradecer por esses privilégios, mesmo que nos pareçam tão naturais, como nossa simples condição de brasileiros.

Siga-me!

Osmir Andrade

Osmir Andrade é professor e gosta muito de aprender. É membro da Estaca Vila Maria - SP.
Siga-me!

Últimos posts por Osmir Andrade (exibir todos)