Ferramentas para o Pesquisador

Para fazer a pesquisa familiar, você vai precisar de algumas ferramentas simples, que estão ao alcance de todos, hoje em dia:

KIT BASICO

1 –   Um caderno ou livro brochura (sem espiral), de capa dura, tipo livro de atas.

2 – Uma caixa de papelão, ou uma pasta de couro, onde você irá guardar as cópias dos documentos e fotos que for conseguindo: guarde certidões de nascimento, de casamento, de óbito, de batismos, etc. Certidões suas e de seus parentes vivos, e dos parentes falecidos, conforme for conseguindo cópias de tais certidões.

3 – Máquina fotográfica (opcional). Quando visitar seus parentes, nunca deixe de registrar com muitas fotos o encontro. Lembre-se que “uma imagem vale por mil palavras“.

4 – Um gravador portátil(opcional) que você deve deixar em um local que não iniba as pessoas entrevistadas. Geralmente os idosos não gostam muito de ser gravados. Hoje em dia, todo celular tem a opção GRAVAR VOZ.

5 –Carta “mágica”, que será endereçada aos cartórios e igrejas católicas antigas. Muita coisa você conseguirá sem sair de sua casa e sem gastar quase nada, apenas gastando tempo, papel e selo. Para ver a Carta Mágica, clique AQUI. Na própria carta mágica tem instruções de preenchimento e como enviá-la, para que você tenha resultados satisfatórios.

Você poderá também optar por usar os termos da Carta Mágica e enviar por E-MAIL, que é muito mais rápido e fácil ( é só descobrir o lugar certo, na Internet, para enciar o e-mail). Breve chegaremos neste ponto da pesquisa.

6 – Perseverança. Lembre-se que genealogia não se faz em apenas um dia, mas que pode se tornar numa obra monumental depois de algum tempo. Não se assuste com o tamanho da obra. Toda grande caminhada começa com o primeiro passo.

AGORA VOCÊ É UM DETETIVE

Concentre-se sobre os documentos, anotações das conversas que teve com os parentes vivos, ou sobre qualquer outra fonte, por mais insignificante que possam parecer tais informações – qualquer pista pode levar você a descobrir aquele antepassado que está faltando em sua linhagem genealógica. Comece escolhendo o parente sobre o qual você tem mais PISTAS: sabe a cidade onde ele nasceu, onde casou, onde morreu, ou onde viveu.

Por exemplo: você está tentando descobrir quem é o seu bisavô paterno, e tudo o que você sabe, é o que seu pai lembra de ter ouvido do pai dele, de que vieram da Itália de navio, lá pelos anos de 1920. O pai de seu pai, agora já é falecido, e não pode mais lhe ajudar. Você não tem o passaporte de seu avô, o que poderia ajudar, mas não se desespere. Existem maneiras de se descobrir tudo.

Neste caso específico, você poderá descobrir seu bisavô, investigando sobre o seu avô, que veio da Itália de navio, na época em que houve uma grande imigração italiana para vários países: Austrália, EUA, e principalmente, Brasil. Foram muitos e muitos navios carregados com centenas de italianos, na maioria muito pobres, que vinham trabalhar nas plantações do Brasil.

Eles chegavam pelo Porto de Santos, e outros portos, ficavam na Hospedaria dos Imigrantes alguns dias, e depois iam para as fazendas, onde se fixavam. Alguns não se fixavam nas fazendas, mas iam para as cidades grandes, onde constituíam suas famílias.

Esta é história de muitas famílias brasileiras, pois muitos de nós descendemos de Italianos. Você pode, portanto, ir pesquisar no Museu da Imigração, em São Paulo, para tentar descobrir detalhes sobre a entrada de seu avô no Brasil. Pegue os dados que você possue a pesquise a entrada dos imigrantes italianos por volta de 1920- data aproximada que seu pai lhe disse ter ouvido como provável data de entrada do seu avô no Brasil. Não pense que vai ser fácil, mas será muito recompensador quando você descobrir, e ao descobrir sobre a entrada de seu avô, vai descobrir DE ONDE ELE VEIO- por exemplo: Rovigo, Italia, e vai descobrir o NOME do seu bisavô e da sua bisavó paterna, e poderá continuar a pesquisa na Itália. Você vai aprender como logo, logo.

ENTENDENDO OS DOCUMENTOS ANTIGOS

Quando você começar a se aprofundar na Pesquisa Genealógica, certamente vai ter em mãos documentos antigos ou ver cópias no computador, de documentos de mais de 100 anos atrás. Naquele tempo, os escreventes usavam canetas (ou penas de galinha!) e tinteiro. Usavam abreviações, tipos de letras, e estilos diferentes de hoje. Por isso, você tem que aprender um pouquinho de Paleografia, ou seja, o estudo dos escritos antigos. Clique aqui: Entendendo os Documentos Antigos.

LOCAIS ONDE OBTER GRANDE AJUDA

Centros de História da Família São mantidos por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons), e estão instalados por todo o mundo. Os CHF (como são chamados) trabalham em coordenação com a Biblioteca de História da Família, da Cidade do Lago Salgado (Salt Lake City), Utah, onde tem mais de milhões de rolos de microfilmes contendo cópias de registros originais de mais de cem países. Neles estão incluídos registros de nascimento, casamento, óbito, igreja, terras, inventários e outros registros de valor genealógico.

Conseguiu-se essa vasta coleção de microfilmes graças a cooperação de governos, igrejas , e cartórios do mundo inteiro. Os microfilmes originais são armazenados numa Montanha de Granito, próximo a Salt Lake. As cópias desses filmes podem ser utilizadas por intermédio dos Centros de Genealogia.Veja a LISTA DE CHF NO BRASIL.

Entre em contato com o CHF mais próximo de sua casa. O melhor dia para fazer contato é domingo, pois esses centros funcionam normalmente nas próprias capelas da Igreja Mormon, algumas horas por semana, e domingo é o dia das reuniões, quando você poderá falar com os membros. Lá você será bem tratado, e orientado para avançar em sua pesquisa. E de graça: Eu já estive muitas vezes no CHF de Bauru-SP. E gostei muito.

CARTÓRIOS DO BRASIL

Aqui está um Site que tem um cadastro completo dos Cartórios no Brasil. Assim você pode entrar em contato direto, por telefone, ou por e-mail (caso o Cartório tenha), ou então, por carta, colocando o endereço completo. Para entrar basta clicar aqui:Cartórios do Brasil. É só escolher o Estado no mapa, escolher a cidade, e escolher o tipo de registro que procura.

Mãos à obra!

Logo voltaremos com mais instruções.

Siga-me!

Luiz Polito

Luiz Polito serviu na Missão Brasil Rio de Janeiro (1978/80). É músico e microempresário. Proprietário de um Sebo Virtual, chamado Higino Cultural. E atualmente serve como Consultor de História da Família na Ala Bauru - Estaca Bauru.
Siga-me!