Raramente passo um dia de trabalho sem encontrar alguém que tentou morrer por falta de esperança na vida, por não terem fé alguma em algo melhor, ou não acreditarem que podem ser  importantes para algo, muitas vezes sabendo que são importantes para alguém (muitos têm filhos ou parentes que sofreriam com sua ausência).
Muitas vezes faço acordos para que deem um tempo em seus planos suicidas, alegando que aquele não é o melhor momento para uma decisão tão radical e definitiva.
Não acredito que buscar esperança seja a solução, na realidade poucas frases podem ter menos sentido que: “Você precisa ter esperança!” Onde consigo isto ou onde compro isto? Não há uma resposta suficientemente satisfatória.
Paulo dá uma diretriz fantástica: “Agora, pois, permanecem estas três: a fé, a esperança e a caridade; porém a maior destas é a caridade.” I Corintios 13:13
Demonstrar mais amor depositando menos expectativas irreais nas pessoas, ou melhor, simplesmente fazendo mais e esperando menos, é algo mais palpável. A caridade ou o amor puro é maior que a fé e esperança, pelo fato de que a caridade gera esperança.
Uma das situações em que atuei neste ano como médico foi a de uma mulher que os filhos não a suportavam mais. Ela sempre foi moderadamente depressiva e absurdamente negativa, conseguia ser hostil e afastar todos, e também queria morrer. Os filhos pediram que eu a internasse, queriam um lugar para deixar a mãe indefinidamente.
Tive a inspiração de fazer uma reunião com todos, além dos habituais remédios. Nesta reunião demonstrei a ela como era de fato insuportável, e como os filhos estavam cansados dela.
Pedi então um pouco de sacrifício de cada um, um pouco de caridade. A ela pedi que buscasse atividades boas, e que quando visse os filhos gastasse mais tempo falando das coisas boas que fez, ao invés de criticar ou falar de desgraças. Aos filhos pedi que se revezassem visitando a mãe um dia por semana.
Recentemente a ouvi. Um pequeno e significativo milagre ocorreu, a esperança e realidade de dias melhores surgiram. Os filhos a visitam e ligam com frequência, e ela consegue demandar menos atenção por seu esforço, sua vida é mais significativa e interessante. Serve em sua igreja, faz algumas atividades físicas, recebe os filhos controlando os impulsos de falar coisas negativas e falando de suas realizações.
Em síntese, para uma esperança renovada lembremos da caridade, que de todas é a maior.
Ao esperar menos dos filhos e servi-los, houve melhora. Quando os filhos foram mais compassivos, sabendo o que poderiam esperar de sua mãe e a serviram um pouco, houve melhora. Sinergia, a soma dos esforços produziu um resultado muito maior do que isoladamente.

Siga-me!

Luciano Sankari

Serviu na Missão Brasil Recife Sul de 1996 a 1998.Graduado em medicina em 2003 na Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, com Especialização em Cardiologia HC-UFPR e em Gestão do Trabalho e Educação em Saúde ENSP/FIOCRUZ. Trabalha na área de psiquiatria há 12 anos. É Presidente da Estaca Curitiba Brasil Novo Mundo. Casado, tem 3 filhos.
Siga-me!

Últimos posts por Luciano Sankari (exibir todos)